Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 10 de abril de 2019.
Dia da Engenharia.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Futebol brasileiro

Edição impressa de 10/04/2019. Alterada em 10/04 às 03h00min

Caboclo assume a presidência da CBF prometendo independência

Cerimônia de posse do cartola contou com a presença de Infantino, da Fifa

Cerimônia de posse do cartola contou com a presença de Infantino, da Fifa


Lucas Figueiredo/CBF
Depois de mais de um ano como presidente de fato, Rogério Caboclo assumiu oficialmente na tarde de ontem o comando do futebol brasileiro. Prometendo "total independência", o paulista foi empossado novo presidente da CBF para um mandato de quatro anos. Em 2023, poderá tentar a reeleição. O presidente da Fifa, Gianni Infatino também compareceu à cerimônia. 
Eleito em abril do ano passado após articulação de Marco Polo Del Nero, banido do futebol pela Fifa, Caboclo procurou mostrar isenção. "Quero deixar clara a minha total independência, dentro dos limites estatutários, para fazer tudo aquilo que eu acredito", afirmou.
Reconhecendo o "forte desgaste" que a CBF passou nos últimos anos - um ex-presidente está preso nos Estados Unidos e outros dois não deixam o País receosos de terem o mesmo destino -, Caboclo disse que quer mudar o jogo. Segundo ele, sua gestão será baseada em dois pilares: integridade e eficiência. Ele também se definiu como um "inconformado" e disse que está aberto a críticas e a novas ideias. 
O dirigente de 46 anos chegou à CBF em 2014 pelas mãos de Del Nero, que assumiria a presidência da entidade no ano seguinte, mas não terminaria o mandato. A função de Caboclo não era lidar diretamente com o futebol, mas sim colocar a gestão em ordem, como CEO. Como presidente, já adiantou que irá reduzir o calendário dos estaduais.
Caboclo anunciou ainda a criação de um conselho de craques, formado por 11 personalidades do futebol brasileiro, com os ex-jogadores Cafu, Ricardo Rocha, Jairzinho, Careca, Zinho, Gilberto Silva e Juninho Paulista, as ex-atletas Pretinha e Michael Jackson e os técnicos Carlos Alberto Parreira e Muricy Ramalho. Juninho Paulista, campeão mundial em 2002, também vai desempenhar o cargo de diretor de desenvolvimento do futebol.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia