Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 22 de janeiro de 2019.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Tênis

Edição impressa de 23/01/2019. Alterada em 22/01 às 01h00min

Com desfalques, Bélgica não será adversário tão duro na Copa Davis

Marcelo Melo e Bruno Soares são os destaques do time brasileiro

Marcelo Melo e Bruno Soares são os destaques do time brasileiro


/CRISTIANO ANDUJAR/CBT/DIVULGAÇÃO/JC
O Brasil terá um desafio bem menos complicado do que esperava diante da Bélgica, pela fase qualificatória da Copa Davis, nos dias 1 e 2 de fevereiro, em Uberlândia, Minas Gerais. A equipe belga, segundo convocação anunciada ontem, não terá seus principais tenistas para o duelo, que vale vaga na fase final.
Para o time liderado pelo capitão Johan Van Herck, as baixas serão David Goffin, ex-top 10 do ranking, e o experiente Steve Darcis. Goffin, maior estrela do tênis belga na atualidade, que preferiu competir sobre quadra dura nesta época do ano, visando aos Masters 1.000 de Indian Wells e Miami, nos EUA.
Sem eles, o time belga será liderado por Arthur De Greef, que é apenas o 199º do mundo. Os demais convocados são Kimmer Coppejans (214º) e Sander Gille (575º). Joran Vliegen, especialista em duplas, é o atual 81º desse ranking. O capitão divulgou uma lista com apenas quatro jogadores.
A falta de experiência na Davis é a marca desta equipe belga. Maior esperança do time, De Greef tem apenas uma partida na competição em seu currículo. Gille e Vliegen também só disputaram uma, de duplas. Os três perderam seus jogos.
A baixa rodagem dos belgas será uma oportunidade de ouro para o Brasil, que vem sofrendo derrotas até para equipes menos experientes nos últimos anos, oscilando entre os zonais e a repescagem do Grupo Mundial da Davis. Com a mudança nesta temporada, o País acabou sendo beneficiado ao entrar na fase qualificatória, a ser disputada em fevereiro. Se vencer a Bélgica, irá jogar a fase final, em Madri, em novembro.
Para o confronto diante da Bélgica, o capitão João Zwetsch convocou cinco jogadores: Thiago Monteiro (126º do ranking), Rogério Dutra Silva (136º), Thiago Wild (449º) e os duplistas Bruno Soares (7º) e Marcelo Melo (9º).
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia