Porto Alegre, domingo, 02 de agosto de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 02 de agosto de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Tênis

- Publicada em 23h59min, 22/01/2019.

Com desfalques, Bélgica não será adversário tão duro na Copa Davis

Marcelo Melo e Bruno Soares são os destaques do time brasileiro

Marcelo Melo e Bruno Soares são os destaques do time brasileiro


/CRISTIANO ANDUJAR/CBT/DIVULGAÇÃO/JC
O Brasil terá um desafio bem menos complicado do que esperava diante da Bélgica, pela fase qualificatória da Copa Davis, nos dias 1 e 2 de fevereiro, em Uberlândia, Minas Gerais. A equipe belga, segundo convocação anunciada ontem, não terá seus principais tenistas para o duelo, que vale vaga na fase final.
O Brasil terá um desafio bem menos complicado do que esperava diante da Bélgica, pela fase qualificatória da Copa Davis, nos dias 1 e 2 de fevereiro, em Uberlândia, Minas Gerais. A equipe belga, segundo convocação anunciada ontem, não terá seus principais tenistas para o duelo, que vale vaga na fase final.
Para o time liderado pelo capitão Johan Van Herck, as baixas serão David Goffin, ex-top 10 do ranking, e o experiente Steve Darcis. Goffin, maior estrela do tênis belga na atualidade, que preferiu competir sobre quadra dura nesta época do ano, visando aos Masters 1.000 de Indian Wells e Miami, nos EUA.
Sem eles, o time belga será liderado por Arthur De Greef, que é apenas o 199º do mundo. Os demais convocados são Kimmer Coppejans (214º) e Sander Gille (575º). Joran Vliegen, especialista em duplas, é o atual 81º desse ranking. O capitão divulgou uma lista com apenas quatro jogadores.
A falta de experiência na Davis é a marca desta equipe belga. Maior esperança do time, De Greef tem apenas uma partida na competição em seu currículo. Gille e Vliegen também só disputaram uma, de duplas. Os três perderam seus jogos.
A baixa rodagem dos belgas será uma oportunidade de ouro para o Brasil, que vem sofrendo derrotas até para equipes menos experientes nos últimos anos, oscilando entre os zonais e a repescagem do Grupo Mundial da Davis. Com a mudança nesta temporada, o País acabou sendo beneficiado ao entrar na fase qualificatória, a ser disputada em fevereiro. Se vencer a Bélgica, irá jogar a fase final, em Madri, em novembro.
Para o confronto diante da Bélgica, o capitão João Zwetsch convocou cinco jogadores: Thiago Monteiro (126º do ranking), Rogério Dutra Silva (136º), Thiago Wild (449º) e os duplistas Bruno Soares (7º) e Marcelo Melo (9º).
 
Comentários CORRIGIR TEXTO