Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 24 de dezembro de 2018.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Mundial de Clubes

Edição impressa de 24/12/2018. Alterada em 24/12 às 01h00min

Real Madrid goleia o Al Ain e chega ao hepta

Merengues comemoraram o terceiro título seguido do Mundial

Merengues comemoraram o terceiro título seguido do Mundial


/GIUSEPPE CACACE/AFP/JC
No sábado, o Real Madrid adicionou mais um troféu à sua gloriosa história ao conquistar o Mundial de Clubes pela sétima vez. Sem maiores dificuldades, os espanhóis confirmaram o favoritismo diante do anfitrião Al Ain e venceram por 4 a 1, em Abu Dabi, para se tornar o primeiro time a faturar o torneio em três edições consecutivas.
Diante de um adversário amplamente inferior, o Real não foi brilhante, mas só sofreu sustos nos primeiros minutos. A partir do momento em que abriu o placar, a equipe estabeleceu sua superioridade em campo e arrancou para a goleada, com direito a participação de Vinicius Junior no quarto gol, marcado contra por Nader. Os outros gols dos merengues foram marcados por Modric, Llorente e Sergio Ramos. Shiotani descontou.
O título levantado pelo capitão Sergio Ramos, o primeiro de Santiago Solari como técnico, serviu para embalar o Real em uma temporada que começou oscilante e com a demissão de Julen Lopetegui. Maior vencedor da Liga dos Campeões, com 13 conquistas, o time espanhol é também o maior campeão do Mundial, adicionando este troféu aos conquistados em 1960, 1998, 2002, 2014, 2016 e 2017.
Para o Al Ain, ficou a sensação de dever cumprido, após ser a grande surpresa do torneio. Afinal, os representantes dos Emirados Árabes Unidos, país-sede, deixaram para trás os campeões da Oceania (Team Wellington), da África (Espérance), além do vencedor da Libertadores, o River Plate, nas semifinais.
Além do título, Gareth Bale foi eleito o melhor jogador da competição e recebeu a Bola de Ouro. O galês também terminou como um dos artilheiros do Mundial, com três gols, todos marcados no triunfo por 3 a 1 sobre o Kashima Antlers, na semifinal. Vice-campeão, o brasileiro Caio foi eleito o segundo melhor do torneio e recebeu a Bola de Prata. Já Borré, atacante do River, foi o terceiro melhor jogador e dividiu a artilharia com Bale.
Mais cedo, o River goleou o Kashima Antlers por 4 a 0 e ficou com a terceira posição. O consolo, após a derrota nos pênaltis para o Al Ain na semifinal, contou com gols de Zuculini, Pity Martínez (duas vezes) e Borré.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia