Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 12 de dezembro de 2018.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Natação

Edição impressa de 12/12/2018. Alterada em 12/12 às 01h00min

Com Cielo, Brasil leva bronze no revezamento 4x100 no Mundial

Quarteto brasileiro fechou a prova com o tempo de 3min05s15

Quarteto brasileiro fechou a prova com o tempo de 3min05s15


/SATIRO SODRE/SSPRESS/CBDA/DIVULGAÇÃO/JC
Anote esse nome: Breno Correia. Pouco conhecido até o começo deste ano, o jovem de 19 anos foi fundamental para que o Brasil ganhasse, ontem, sua primeira medalha no Mundial de Natação em Piscina Curta, no 4x100m livre. Com um final de prova espetacular, a equipe brasileira formada ainda por Matheus Santana, Cesar Cielo e Marcelo Chierighini garantiu o bronze, deixando para trás a Itália na última braçada de Breno.
Mais lento pela manhã, Matheus Santana abriu o revezamento com 46s83. Na sequência, Chierighini completou seus 100m metros em 46s37, enquanto que Cesar Cielo fez 46s34. A medalha parecia uma meta difícil, mas Breno Correia voou. Completou sua parte em 45s61 e salvou um dia que vinha sendo ruim para o país.
Essa é a terceira medalha seguida do 4x100m livre brasileiro, que foi prata no Mundial do ano passado e campeão do Pan-Pacífico, este ano. Desta vez, o Brasil (3min05s15) ficou distante de Estados Unidos (3min03s03) e Rússia (3min03s11), vencendo a Itália por 0s05. E o fez mesmo com uma equipe diferente da do Pan-Pacífico, quando o time teve Pedro Spajari, Gabriel Santos, Marco Antônio Ferreira e Chierighini, o único presente nas três conquistas.
Pensando em Tóquio 2020, a disputa por vagas no revezamento deve ser intensa, incluindo também Bruno Fratus, que sofreu lesão no ombro que o tirou do Pan-Pacífico e da seletiva para o Mundial. Por outro lado, Cesar Cielo deve se despedir do time. O Mundial deve marcar sua aposentadoria.
Hoje, o Brasil disputa a final dos 100m costas com Guilherme Guido. O dia ainda reserva eliminatórias e finais dos 200m livre, prova na qual o Brasil terá Luiz Altamir e Breno Correia, além do 4x50m livre misto, em que há esperança de medalha.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia