Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 12 de julho de 2018.
Dia do Engenheiro Florestal.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

copa 2018

Notícia da edição impressa de 12/07/2018. Alterada em 12/07 às 01h00min

Croácia bate Inglaterra por 2 a 1 e chega à final pela primeira vez

Time croata comemorou junto com sua torcida no estádio de Luzhniki

Time croata comemorou junto com sua torcida no estádio de Luzhniki


/MLADEN ANTONOV/AFP/JC
Pela primeira vez em sua história, a Croácia vai decidir uma Copa do Mundo. Ontem, no estádio Luzhniki, em Moscou, a seleção do Leste Europeu começou mal, mas se ajeitou durante a partida e virou em cima da Inglaterra, vencendo por 2 a 1. Com três prorrogações nas três fases de mata-mata, os croatas chegam desgastados fisicamente para a finalíssima de domingo contra a favorita França, no mesmo estádio. Mas é bom ninguém duvidar da força desse time.
O jogo começou quente. Logo aos três minutos, Dele Alli recebeu ótimo passe de Lingard perto da meia-lua e sofreu falta do craque Modric. Na cobrança, Trippier lembrou o craque inglês Wayne Roonie de tão bem que pegou na bola, que venceu a barreira e entrou no canto esquerdo de Subasic.
A Croácia parecia não ter forças para buscar uma reação. Com Modric e Rakitic distantes um do outro, pouco produziram na primeira etapa. Assim, cheio de espaços para atacar, os ingleses avançaram, principalmente com Dele Alli. Harry Kane quase marcou, mas Subasic fez grande defesa. No rebote, o camisa 9 parou na trave.
Na etapa final, os croatas mudaram de postura. Mesmo cansados, eles ficaram mais com a bola e partiram para cima. Os ingleses recuaram na tentativa de explorar o contra-ataque, que não aconteceu. E o empate não demorou para sair. Aos 24, Vrsaljko cruzou dentro da pequena área para Perisic, que se antecipou a Walker e com o pé esquerdo todo esticado deixou tudo igual. Dois minutos depois, Perisic quase virou, mas acertou a trave.
Na prorrogação, a primeira grande chance surgiu aos oito minutos e foi para a Inglaterra. Após cobrança de escanteio, Stones cabeceou firme, mas Vrsaljko apareceu em cima da linha para impedir o segundo gol inglês. Aos 17 foi a vez da Croácia quase marcar com Madzukic. Ele bateu na saída de Pickford, que fez uma grande defesa.
Mas no segundo tempo da prorrogação não teve jeito. Aos dois minutos, Pivaric tentou cruzar na área pela esquerda, mas a defesa da Inglaterra cortou. No rebote, Perisic cabeceou de volta para a área e aí a defesa inglesa falhou feio, principalmente Walker e Stones. A bola sobrou limpa para o atacante Mandzukic tocar na saída de Pickford e virar a partida. Festa croata em Moscou.
Depois, até o final da partida, a Croácia tocou a bola. A Inglaterra não teve forças para empatar e levar o jogo para os pênaltis. Agora, neste domingo, às 12h, a seleção croata encara a favorita França na decisão da Copa da Rússia. Aos ingleses resta o consolo de, assim como em 1990, brigar pelo terceiro lugar, neste sábado, às 11h, contra a Bélgica, em São Petersburgo.

Autor de gol e melhor em campo, Perisic exalta caráter croata

Ivan Perisic comemora o tento croata

Ivan Perisic comemora o tento croata


JEWEL SAMAD/AFP/JC
Autor do gol de empate da Croácia e também da assistência para o gol de Mandzukic na prorrogação, o atacante Ivan Perisic afirmou que a equipe mais uma vez mostrou caráter em campo. Tanto contra a Dinamarca, nas oitavas de final, quanto contra a Rússia, nas quartas, a seleção croata saiu atrás no marcador. "Sabíamos o que estava em jogo, a importância de uma semifinal para um país do nosso tamanho. Começamos devagar, mas mostramos caráter quando estivemos um gol atrás", disse. "Meu gol aconteceu num momento importante, quando estávamos dominando. No segundo, cabecei a bola e o Mandzukic estava no lugar certo. Não importa quem faz o gol, e sim que vencemos."
 

'Disputa pelo terceiro lugar é um jogo que ninguém quer', lamenta Southgate

O técnico da Inglaterra Gareth Southgate se mostrou bastante abatido com a derrota de 2 a 1 para a Croácia e lamentou o fato de sua equipe não ter aproveitado as oportunidades criadas quando vencia por 1 a 0, principalmente no primeiro tempo. "Sentimos a dor da derrota. O vestiário é um lugar muito difícil agora. Penso que jogamos muito bem no primeiro tempo, controlamos a posse de bola. Mas quando temos as chances precisamos aproveitar. No segundo tempo, ficamos bem menos com a bola. Talvez em um momento do jogo tenhamos começado a pensar na final e isso pode ter tido um peso", analisou.

Apesar da derrota, Southgate fez questão de exaltar o desempenho da equipe que voltou a dar orgulho para os torcedores. Tanto que saiu aplaudida de campo. "Me sinto muito orgulhoso dos atletas. E se você for ver a reação dos fãs é incrível e diferente de dois anos - quando o time caiu nas oitavas de final da Eurocopa para a Islândia. Infelizmente não pudemos dar mais ao nosso país, mas este time quebrou muitas barreiras", afirmou. A Inglaterra não chegava a uma semifinal de Copa desde 1990, na Itália. No sábado, às 11h, enfrentará a Bélgica, em São Petersburgo, em busca do terceiro lugar. "É um jogo que ninguém quer jogar e temos apenas dois dias para nos preparar", disse.

'Desculpe, mas estou na final', diz francês Mbappé após críticas belgas

Kylian Mbappé rebateu as críticas dos jogadores belgas após a vitória por 1 a 0, na terça-feira, pela semifinal da Copa da Rússia. "Eles podem pensar o que quiserem. Se eu os ofendi, me desculpe, mas estou na final. Isso é tudo", afirmou o craque de 19 anos.

Os belgas criticaram os franceses durante a partida e falaram que o adversário armou uma retranca. O goleiro Courtois, inclusive, disse que foi uma vergonha a postura da França dentro de campo.

Nos acréscimos do segundo tempo, Mbappé recebeu amarelo por retardar o reinício do jogo. O atacante segurou a bola na linha de fundo e depois chutou para longe, o que rendeu o cartão. "É complicado, mas você tem que dar tudo o que resta. Estamos defendendo e temos que manter a vantagem no placar. Esse não é o momento mais agradável, mas vale a pena", falou, sobre a falta de fair play.

Apesar disso, o camisa 10 da França não deixou de elogiar a seleção belga. "Eles são fortes em todos os setores, têm bons jogadores por todo lugar, foi realmente um jogo complicado", declarou.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia