Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 30 de junho de 2018.
Dia do Economista.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

copa 2018

13/06/2018 - 08h50min. Alterada em 13/06 às 08h50min

A dois dias da estreia na Copa, Espanha demite técnico Julen Lopetegui

Treinador teria negociado contrato com o Real Madrid sem avisar a Federação Espanhola de Futebol

Treinador teria negociado contrato com o Real Madrid sem avisar a Federação Espanhola de Futebol


PIERRE-PHILIPPE MARCOU/AFP/JC
Faltando apenas dois dias para a estreia da seleção da Espanha na Copa do Mundo, a Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF) demitiu nesta quarta-feira o técnico Julen Lopetegui. O surpreendente anúncio foi uma resposta da entidade à decisão do treinador de romper seu contrato unilateralmente com a seleção ao fim do Mundial da Rússia para comandar o time do Real Madrid.
"Queremos agradecer a Julen por tudo o que fez. Ele é o grande responsável por estarmos aqui na Rússia. Mas nos vimos na obrigação de dispensar os seus serviços. Desejamos a ele a melhor sorte possível", declarou o presidente da RFEF, Luis Rubiales, na manhã desta quarta.
O dirigente deixou claro que a causa foi a decisão do treinador de negociar contrato com o Real Madrid sem avisar a entidade. "As negociações aconteceram sem qualquer informação enviada à RFEF. Fomos informados apenas cinco minutos antes do anúncio oficial. Existe um jeito correto de proceder que precisa ser respeitado", destacou o presidente da federação espanhola. "Esta é uma mensagem a todos os funcionários da RFEF."
A irritação de Rubiales se deve principalmente à renovação de contrato que a entidade havia acertado recentemente com o treinador. Pelo novo vínculo, oficializado e tornado público no mês passado, Lopetegui comandaria a seleção espanhola até a Eurocopa de 2020.
Este contrato, contudo, será rompido unilateralmente por causa do acerto do treinador com o Real Madrid, que estava sem comando desde a inesperada saída de Zinedine Zidane, no dia 31 de maio, ao fim da temporada europeia. Com a decisão, o clube vai pagar a alta multa rescisória do vínculo de Lopetegui com a RFEF.
A decisão de demitir o treinador chama a atenção por causa da proximidade da estreia dos espanhóis na Copa. Os campeões mundiais de 2010 vão entrar em campo às 15 horas (horário de Brasília) de sexta-feira, no Fisht Stadium, na cidade de Sochi, para enfrentar a equipe de Portugal, de Cristiano Ronaldo, pelo Grupo B.
O anúncio do acerto de Lopetegui com o Real - num contrato de três temporadas - gerou rápida crise dentro da seleção da Espanha. Rubiales, que deveria comparecer ao Congresso Anual da Fifa, deixou Moscou rapidamente para ir até Krasnodar, onde os espanhóis se concentram para o início da Copa.
Logo surgiram rumores de que ele demitiria o treinador. Mas estas informações repercutiram dentro do grupo da seleção, que rejeitou a saída de Lopetegui. A resistência dos jogadores, liderados por Sergio Ramos, Iniesta e Piqué, atrasou o anúncio da saída do técnico.
A RFEF havia marcado inicialmente uma entrevista coletiva para falar sobre o assunto para as 10h30 (horário local), mas o anúncio foi adiado em mais de uma hora porque Rubiales precisou se reunir com os jogadores para acalmar os ânimos e definir a saída de Lopetegui.
O presidente da RFEF afirmou que o substituto do técnico será anunciado em breve. A Espanha é considerada uma das favoritas ao título na Rússia, principalmente em razão da campanha invicta nas Eliminatórias Europeias da Copa.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia