Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

expodireto

- Publicada em 06 de Março de 2022 às 19:12

Feira retorna otimista apesar da estiagem

Última edição presencial da exposição ocorreu em março de 2020

Última edição presencial da exposição ocorreu em março de 2020


/ALEXANDRO AULER/arquivo/JC
Para muitos produtores rurais, o início da Expodireto-Cotrijal 2022 simboliza um momento de otimismo em um ano tão difícil no campo, devido à estiagem. A 22ª edição da tradicional feira do agronegócio começa hoje, Não-Me-Toque, e vai até 11 de março, marcando o retorno dos expositores e do público ao parque de eventos do município.
Para muitos produtores rurais, o início da Expodireto-Cotrijal 2022 simboliza um momento de otimismo em um ano tão difícil no campo, devido à estiagem. A 22ª edição da tradicional feira do agronegócio começa hoje, Não-Me-Toque, e vai até 11 de março, marcando o retorno dos expositores e do público ao parque de eventos do município.
Após um 2021 sem a realização da feira presencial, por conta das precauções sanitárias contra o coronavírus, a volta da exposição em formato híbrido dá o tom de retomada às atividades do setor que, além das limitações impostas pela pandemia, tem entre os seus desafios superar os impactos da estiagem que atinge a colheita da safra de verão no Rio Grande do Sul.
"Estamos enfrentando uma estiagem que naturalmente preocupa, que afeta desde já a nossa produção. Mas o povo gaúcho é forte, é trabalhador, e temos certeza de que vamos superar este momento crítico", afirmou Eduardo Leite durante a cerimônia de lançamento da Expodireto. "Por isso, a feira se revela ainda mais importante, mais relevante, porque ajuda a potencializar, a partir dos negócios que ali são tratados, essa capacidade de produção na nossa agricultura", completou o governador.
A resiliência do agronegócio também se reflete no slogan da feira neste ano. Através do lema "Somos a força que move o agro", os organizadores da exposição buscam retratar na campanha o homem do campo que supera desafios a cada safra, com o propósito de recomeçar todos os dias junto às novas gerações do setor agropecuário. "Este slogan sobre a força do agro também significa que juntos podemos construir um sistema mais forte em meio ao mercado globalizado, protegendo a nossa produção e a produção primária", adiciona Nei Cesar Mânica, presidente da Cotrijal e da Expodireto.
As tecnologias e inovações para o campo serão o foco da programação. Entretanto, a seca que atinge o Rio Grande do Sul exige debates sobre a flexibilização do Código Ambiental e o armazenamento de água em Áreas de Preservação Permanente (APPs) no centro da pauta de discussões da Expodireto 2022.
Apesar da pandemia e das intempéries climáticas pelas quais passa o Estado gaúcho, a organização se mantém confiante quanto às expectativas sobre a volta do evento. Mesmo evitando fazer previsões relacionadas aos números financeiros da comercialização para o evento 2022, Manica acredita que através dos aportes das instituições financeiras, somados às promoções feitas pelas empresas e a demanda do setor após dois anos sem feira presencial, a Expodireto pode se equiparar aos R$ 2,6 bilhões em propostas de negócios registrados na edição ocorrida há dois anos.
A confiança do presidente da Cotrijal sobre a expectativa dos negócios também tem como base os números do Show Rural Coopavel, realizado em Cascavel (PR) no mês de fevereiro. O evento movimentou R$ 3,2 bilhões, reforçando a convicção dos organizadores da Expodireto para que desempenho semelhante aconteça na feira de Não-Me-Toque.
A redução no número de expositores desde ano não abala a expectativa de público por parte responsáveis do evento. Até o momento, 545 expositores confirmaram presença na Expodireto, número inferior aos 573 que estiveram na última feira presencial. Contudo, Manica reforça sua crença de que a demanda dos agricultores gerada pelo hiato da exposição no ano passado deve resultar em um número de visitantes semelhante aos 256 mil registrados em 2020.
"A importância da Expodireto para o Estado é enorme. Lá se discute o conhecimento, a inovação e a tecnologia", ponderou a secretária da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Silvana Covatti. "Estamos vivendo a maior seca dos últimos anos e a troca de experiências vai ajudar para que ocorra a retomada da nossa economia", enfatizou a secretária.
Aliado ao avanço da vacinação contra a Covid-19, o modelo híbrido adotado para a realização da 22ª edição do evento também aponta uma alternativa para o retorno das feiras presenciais ao longo do ano no Estado. Com uma área física de 98 hectares, a Expodireto contará com uma plataforma digital para possibilitar o acesso do público aos principais ambientes físicos do parque de forma virtual.
Por meio da Expodireto Digital, o evento proporcionará a visitação às áreas de expositores e aos auditórios Central e da Produção. Desta maneira, será possível ao público conferir as novidades trazidas para a exposição em estandes virtuais e interagir com os vendedores e representantes das empresas, além de acompanhar palestras e debates on-line.
Outro local do parque que poderá ser acessado por meio da plataforma virtual é a Arena Agrodigital. Inaugurado na edição de 2020 com infraestrutura circular e uma área de 1,7 mil metros quadrados, o espaço será ampliado com 26 estandes para empresas, em comparação às 22 marcas da feira presencial anterior, além de quatro espaços para hubs de inovação e 10 para startups com o objetivo de estreitar os laços do produtor rural com as tecnologias virtuais dedicadas ao campo.

Pavilhão da agricultura familiar terá 197 expositores em Não-Me-Toque

Local contará com representantes de 122 municípios do Rio Grande do Sul

Local contará com representantes de 122 municípios do Rio Grande do Sul


/ALEXANDRO AULER/arquivo/JC

A volta do Pavilhão da Agricultura Familiar também será um dos destaques da 22ª edição da Expodireto-Cotrijal. O setor foi um dos mais prejudicados com o cancelamento da feira passada, uma vez que, além da pandemia, houve também a diminuição das compras institucionais, como Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

Com representantes de 122 municípios gaúchos, está confirmada a presença de 197 expositores presencialmente ao evento. Distribuídos em 191 estandes, 70,6% destes compreendem as agroindústrias e 29,4% estarão divididos entre artesanato, plantas e flores.

"Essa retomada é uma grande oportunidade aos visitantes e também aos produtores. A feira oferece a chance de divulgar e comercializar produtos, e, principalmente, para fazer contatos", ressaltou o gerente regional da Emater de Passo Fundo, Dartanhã Luiz Vecchi. "É o momento de buscar por novas tecnologias e informações que possam qualificar o processo produtivo e aumentar a renda familiar", adicionou o representante da Emater, uma das instituições responsáveis pela organização do pavilhão da agricultura familiar em parceria com a Cotrijal, Seapdr, Fetag e Fetraf/RS.

Dividida em 16 espaços temáticos, a área da Emater/RS-Ascar dentro da feira oferecerá aos visitantes informações técnicas sobre as temas como a bovinocultura leiteira, cooperativismo, alimentação e segurança alimentar, florestas comerciais, horticultura, irrigação, tecnologia de aplicação, energia fotovoltaica, piscicultura, secagem e armazenagem de grãos, meliponicultora, apicultura, turismo rural e, claro, agroindústria familiar.

Para este ano, a entidade terá como tema central a "Inovação e tecnologias de informação e comunicação no campo (TICs)", tendo suas atividades voltadas para otimização do uso dos recursos, automação do trabalho e sucessão familiar nas agroindústrias.

"Nos últimos anos o produtor teve que se adaptar e buscar novas tecnologias para que a informação pudesse chegar à sua propriedade de modo que fosse possível se desenvolver com maior qualidade e ter maior obtenção de renda, respeitando ao mesmo tempo a legislação ambiental. Em cada uma das dezesseis parcelas temáticas que apresentaremos na feira, buscaremos difundir atividades que se relacionem à tecnologia da informação", explica Vecchi.

Para garantir a segurança do público na Expodireto, um protocolo de ações sanitárias foi elaborado em conjunto com o governo do Estado e Secretaria Estadual de Saúde. A temperatura dos visitantes será medida na entrada. Quem quiser, poderá apresentar a carteira de vacinação contra a Covid-19. A disponibilização de álcool gel no espaço, assim como o uso de máscaras também estão entre as medidas preventivas que estarão em vigor durante os dias da feira.

Conteúdo Publicitário
Leia também
Comentários CORRIGIR TEXTO