Porto Alegre, domingo, 27 de junho de 2021.
Porto Alegre,
domingo, 27 de junho de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Coronavírus

- Publicada em 10h19min, 27/06/2021.

Pesquisadores desenvolvem novos testes rápidos para diagnóstico de Covid-19

Testes são de saliva e têm alta sensibilidade

Testes são de saliva e têm alta sensibilidade


Andy Buchanan/AFP/JC
Pesquisadores da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), desenvolveram dois novos métodos para identificar casos de Covid-19, com potencial para acelerar a testagem em massa no Brasil. Os dois testes utilizam a saliva para detectar o vírus e têm alta sensibilidade, a exemplo do teste padrão ouro RT-PCR; e ainda com a vantagem de custar ao menos um terço do preço do RT-PCR, que atualmente está entre R$ 300,00 e R$ 450,00.
Pesquisadores da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), desenvolveram dois novos métodos para identificar casos de Covid-19, com potencial para acelerar a testagem em massa no Brasil. Os dois testes utilizam a saliva para detectar o vírus e têm alta sensibilidade, a exemplo do teste padrão ouro RT-PCR; e ainda com a vantagem de custar ao menos um terço do preço do RT-PCR, que atualmente está entre R$ 300,00 e R$ 450,00.
De acordo com o coordenador da pesquisa, Ronaldo Censi Faria, o primeiro teste desenvolvido por eles utiliza um dispositivo com o mesmo princípio de funcionamento do medidor de glicose. O resultado sai rapidamente e é confiável e pode ser encaminhado pelo celular. "Vai dar o resultado em torno de 30 a 60 minutos. No entanto, vai dar um resultado que tem a mesma confiabilidade do RT-PCR, então ele difere dos testes rápidos. E a um custo muito baixo", disse o pesquisador
Além disso, Faria também falou que por meio desse método, há possibilidade de se detectar outras doenças ou condições como Alzheimer, Leichmaniose, câncer e hanseníase. Em outro teste desenvolvido por ele, os pesquisadores utilizam uma plataforma já amplamente conhecida pelos laboratórios, chamada Elisa, que faz a leitura de enzimas, e que permite a análise de 96 amostras de saliva a cada meia hora. "Depois de meia hora, você pode avaliar um novo conjunto de amostras. A cada meia hora vc está avaliando 96 amostras. Então, em um dia você vai poder fazer milhares de testes", conta Censi.
Segundo ele, por utilizar uma tecnologia já conhecida por laboratórios, esse tipo de teste poderia ser rapidamente adotado por empresas interessadas e resolver dois gargalos da testagem em massa no país: o custo dos testes e o tempo de diagnóstico.
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário