Porto Alegre, quarta-feira, 05 de maio de 2021.
Dia Nacional das Comunicações.
Porto Alegre,
quarta-feira, 05 de maio de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Coronavírus

- Publicada em 21h54min, 05/05/2021.

Mais 628 mil vacinas da Pfizer chegam ao Brasil nesta quarta-feira

São 628.290 novas doses que serão entregues ao governo brasileiro

São 628.290 novas doses que serão entregues ao governo brasileiro


JOEL SAGET / AFP/ JC
Novo lote da vacina contra a Covid-19 da Pfizer/Biontech chega ainda nesta quarta-feira (5) ao Brasil. São 628.290 novas doses que serão entregues ao governo brasileiro. O imunizante tem chegada prevista para as 21h no Aeroporto de Viracopos, em Campinas, no interior paulista. Anteriormente a previsão era 19h55, mas houve atrasos no voo.
Novo lote da vacina contra a Covid-19 da Pfizer/Biontech chega ainda nesta quarta-feira (5) ao Brasil. São 628.290 novas doses que serão entregues ao governo brasileiro. O imunizante tem chegada prevista para as 21h no Aeroporto de Viracopos, em Campinas, no interior paulista. Anteriormente a previsão era 19h55, mas houve atrasos no voo.
De acordo com a empresa, as doses fazem parte do acordo feito no dia 19 de março, que prevê a disponibilização de 100 milhões de vacinas ao país até o final do terceiro trimestre deste ano.
O Ministério da Saúde começou na segunda-feira (3) a distribuir a primeira remessa com 1 milhão de doses da vacina da Pfizer às 27 unidades da federação. A logística de distribuição levou em conta a capacidade das localidades de armazenar as doses do imunizante, que precisa ficar em temperaturas mais baixas do que as demais vacinas.
Os imunizantes da Pfizer ficam a uma temperatura de 25 graus Celsius negativos e são descongelados para temperaturas positivas entre 2º C e 8ºC para serem usados em um prazo de até cinco dias.
O ministério informou que a vacina da Pfizer está sendo destinada para vacinação de pessoas com comorbidades, gestantes e puérperas e pessoas com deficiência permanente. A comprovação das comorbidades pode ser feita com exames, receitas, relatório ou prescrição médica, entre outros.
Agência Brasil
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário