Porto Alegre, quarta-feira, 21 de abril de 2021.
Dia de Tiradentes. Aniversário de Brasília/DF. Paixão de Cristo.
Porto Alegre,
quarta-feira, 21 de abril de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Saúde

- Publicada em 16h54min, 20/04/2021. Atualizada em 12h06min, 21/04/2021.

Pandemia no RS: mortes voltam a subir e internações em UTIs caem abaixo de 2 mil

Mais 245 mortes causadas por complicações da Covid-19 foram confirmadas nesta terça-feira

Mais 245 mortes causadas por complicações da Covid-19 foram confirmadas nesta terça-feira


CARL DE SOUZA/AFP/JC
O Rio Grande do Sul vive dois contrastes na pandemia. Após 47 dias, as internações em UTIs caem pela primeira vez abaixo de 2 mil pacientes com Covid-19. Mas outro indicador, e a pior face da crise sanitária, não dá trégua: mais 245 mortes causadas por complicações da Covid-19 foram confirmadas nesta terça-feira (20), maior número em cinco dias.
O Rio Grande do Sul vive dois contrastes na pandemia. Após 47 dias, as internações em UTIs caem pela primeira vez abaixo de 2 mil pacientes com Covid-19. Mas outro indicador, e a pior face da crise sanitária, não dá trégua: mais 245 mortes causadas por complicações da Covid-19 foram confirmadas nesta terça-feira (20), maior número em cinco dias.
Os dados são do painel da pandemia mantido pela Secretaria Estadual da Saúde (SES). O Estado chegou a 23.515 mortes.
Desde quinta-feira passada (15), quando foram 235 óbitos, o ritmo de perdas de vidas experimentou desaceleração, mas voltou a níveis elevados. Desde o fim de semana, houve queda. Nessa segunda-feira (19), foram 79 casos.
Além disso, mais 6.739 casos de infectados entraram na estatística da crise sanitária no Estado. Um número também bem acima dos últimos dias. O número total de casos chegou a 928.802.
As UTIs somam, nesta terça, 1.994 doentes confirmados com Covid-19. Ainda há 127 ainda suspeitos de estarem com a doença causada pelo novo coronavírus. O menor número de confirmados havia sido registrado em 3 de março, quando 1.990 pessoas estavam internadas nas UTIs com Covid.
A estrutura de leitos intensivos no Estado tem 2.938 doentes internados em todas as enfermidades, o que significa 86,8% de ocupação dos 3.383 leitos existentes. A taxa é considerada elevada, próxima a níveis críticos e vem reduzindo lentamente. 
Já a ocupação de leitos clínicos, que é de 2.608 casos de novo coronavírus, cai e é a menor desde 24 de fevereiro, quando havia 2.495 doentes em enfermarias com o novo coronavírus. 
O Estado manteve a bandeira preta na sexta-feira passada para esta semana, a oitava seguida com o nível de risco altíssimo da pandemia.   
Em Porto Alegre, a ocupação de UTIs é de 95,7%, com recuo lento, mas ainda em patamar de quase colapso, quando esgotam as vagas. São 920 internados, sendo 595 com Covid, para 971 leitos. Mas há hospitais ainda operando com mais pacientes que a capacidade. Oito dos 18 estabelecimentos estão nesta condição.
Os níveis mais elevados são verificados nos hospitais de Pronto Socorro (150%), Conceição (142%) e Moinhos de Vento (124%). Também são 63 pessoas em emergências de hospitais aguardando vaga em UTI. 
Na vacinação, o Estado se aproxima da aplicação de 2 milhões de primeira dose (D1). São 1.990.043 aplicações de D1. Foram mais 582.168 de segunda dose (D2). O total é de quase 2,8 milhões de imunizantes em D1 e D2.
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário