Porto Alegre, quarta-feira, 07 de abril de 2021.
Dia do Jornalista. Dia Mundial da Saúde.
Porto Alegre,
quarta-feira, 07 de abril de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Saúde

- Publicada em 21h01min, 07/04/2021.

Brasil registra 3.829 mortes por Covid-19 e 92 mil novos infectados em 24 horas

Ainda há 3.589 mortes em investigação por equipes de saúde

Ainda há 3.589 mortes em investigação por equipes de saúde


Christophe ARCHAMBAULT/AFP/JC
O Brasil superou 340 mil mortes em função da Covid-19. Com 3.829 mortes registradas em 24 horas, o país chegou a 340.776 vidas perdidas para a pandemia do novo coronavírus.
O Brasil superou 340 mil mortes em função da Covid-19. Com 3.829 mortes registradas em 24 horas, o país chegou a 340.776 vidas perdidas para a pandemia do novo coronavírus.
Ainda há 3.589 mortes em investigação por equipes de saúde. Isso porque há casos em que o diagnóstico sobre a causa só sai após o óbito do paciente.
Já o total de pessoas infectadas desde fevereiro de 2020 subiu para 13.193.205. Entre ontem e hoje, foram confirmados 92.625 novos diagnósticos positivos.
O número de pessoas recuperadas subiu para 11.664.158. Já a quantidade de pacientes com casos ativos, em acompanhamento por equipes de saúde, ficou em 1.288.271.
Estados
O ranking de estados com mais mortes pela Covid-19 é liderado por São Paulo (79.443), Rio de Janeiro (38.282), Minas Gerais (25.303), Rio Grande do Sul (21.261) e Paraná (18.118). Já as Unidades da Federação com menos óbitos são Acre (1.318), Amapá (1.356), Roraima (1.367), Tocantins (2.157) e Sergipe (3.668).
Rio Grande do Sul registrou mais 243 mortes por Covid-19, são 21.261 vidas perdidas ao todo. Segundo os dados da Secretaria Estadual da Saúde (SES) mais 7.061 casos positivos do vírus nas últimas 24 horas, elevando para 875.450 o total de gaúchos contaminados até agora. A taxa de ocupação das UTIs, que vem mostrando queda na última semana, agora está em 95,5%.
Agência Brasil
Comentários CORRIGIR TEXTO