Porto Alegre, quinta-feira, 04 de março de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 04 de março de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Saúde

- Publicada em 00h11min, 03/03/2021. Atualizada em 17h00min, 04/03/2021.

RS busca voluntários para atuar no atendimento e serviços de Covid

Iniciativas vão buscar apoio para ajudar serviços a dar conta da grande demanda por cuidados

Iniciativas vão buscar apoio para ajudar serviços a dar conta da grande demanda por cuidados


MARCO QUINTANA/CIDADES
Patrícia Comunello
Com serviços hospitalares e de emergência operando no limite ou já em colapso e com falta de profissionais, entram em campo iniciativas para buscar profissionais voluntários em diversas áreas da saúde para atuar na linha de frente de atendimento aos doentes ou suspeitos do novo coronavírus.
Com serviços hospitalares e de emergência operando no limite ou já em colapso e com falta de profissionais, entram em campo iniciativas para buscar profissionais voluntários em diversas áreas da saúde para atuar na linha de frente de atendimento aos doentes ou suspeitos do novo coronavírus.
A Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) abriu inscrições para o Voluntariado Covid. Médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogos e técnicos em enfermagem, algumas das funções mais demandadas, podem se inscrever em um canal no site da universidade. A inscrição é pelo https://voluntarios.ufcspa.edu.br.
O governo do Estado lançou dois cadastros: um de voluntários e outro para recrutamento de profissionais
A ideia na UFCSPA está sendo reativada pelo Comitê Técnico de Informações Estratégicas e Respostas Rápidas à Emergência em Vigilância em Saúde Referente ao Coronavírus, explica a vice-coordenadora do curso de Medicina e médica de família, Maria Eugênia Bresolin Pinto. A ação foi feita até novembro, quando foi interrompida devido ao arrefecimento de casos. Agora a contaminação é acelerada e as mortes batem recorde.
Com a piora do quadro - o Estado vive o pior momento da crise sanitária -, a meta é conseguir pessoas que tenham um turno na semana ou algumas horas do dia para ajudar nos serviços.
Os voluntários, explica Maria Eugênia, devem atuar no complexo da Santa Casa, instituição que já tem parcerias com a UFCSPA, na formação de futuros profissionais, e hoje enfrenta dificuldades para repor pessoal à medida que precisa ampliar a estrutura. Nessa terça, a instituição chegou a emitir um alerta sobre o esgotamento de leitos. A UTI Covid está perto de 100% de ocupação.   
"Pode ser voluntário que tenha algumas horas, um turno, o que for possível", exemplifica a médica. 
Uma das tarefas que já tem apoio de alunos voluntários é auxiliar na paramentação e desparamentação de quem está entrando ou saindo de um plantão. A operação que envolve tanto quem atua em uma emergência, como em áreas clínicas e UTIs Covid precisa ser feita com todo o cuidado para evitar contaminação.     
"A checagem de todos os processos é muito cansativa, e as pessoas saem exaustas de um plantão. Precisa cuidar para não contaminar ao desparamentar", cita a médica.
Outros voluntários também estão apoiando no teleatendimento da Santa Casa, para esclarecer a população sobre quando deve ou não fazer testes e como proceder. Há hoje uma grande preocupação com as pessoas que podem ter se contaminado e acabam circulando em diversos locais em busca de exames e consultas.  
Alunos também atuam reforçando equipes em áreas da saúde básica. Entre as tarefas, está a vacinação em postos e monitorar pessoas acamadas para verificar desde as doses recebidas como a renovação de receituário de medicações. "Isso alivia quem está nos postos e cada vez é mais demandado pela população", observa Maria Eugênia.  
Outra frente da UFCSPA é buscar voluntários na área de Biomedicina e Farmácia para apoiar a análise de materiais que chegam ao Laboratório Central (Lacen), que atende à parte da demanda de exames de RT-PCR, o mais crucial para saber se a pessoa tem o vírus, e a Vigilância Sanitária.
"Muitos querem ajudar e não sabem como. Qualquer ajuda que puder ser dada será muito importante. os serviços estão trabalhando no limite", alerta a coordenadora.
Comentários CORRIGIR TEXTO