Porto Alegre, sábado, 13 de fevereiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 13 de fevereiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Saúde

- Publicada em 20h50min, 13/02/2021. Atualizada em 21h10min, 13/02/2021.

RS rastreia casos de variante mais contagiosa que matou idoso de Gramado

Idosos foi vítima da variante, mesmo sem ter viajado ou tido contato com eventuais infectados

Idosos foi vítima da variante, mesmo sem ter viajado ou tido contato com eventuais infectados


CLEITON THIELE/SERRAPRESS/DIVULGAÇÃO/CIDADES
Patricia Comunello
Um idoso de 88 anos que residia em Gramado, na Serra Gaúcha e um dos principais polos turísticos do Brasil, morreu por complicações causadas pela variante do novo coronavírus detectada pela primeira vez em Manaus, no Norte. A linhagem P.1, como é chamada, já foi registrada em outros estados e preocupa as autoridades de saúde por ser mais transmissível que outras mais recorrentes.
Um idoso de 88 anos que residia em Gramado, na Serra Gaúcha e um dos principais polos turísticos do Brasil, morreu por complicações causadas pela variante do novo coronavírus detectada pela primeira vez em Manaus, no Norte. A linhagem P.1, como é chamada, já foi registrada em outros estados e preocupa as autoridades de saúde por ser mais transmissível que outras mais recorrentes.
A informação da detecção da P.1, divulgada nessa sexta-feira (12), foi ampliada com a liberação do segundo Boletim Genômico na pandemia. Além disso, técnicos do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) vão ampliar a análise de amostras do vírus na Serra Gaúcha para verificar se o único registro até agora é uma situação isolada ou pode ter mais casos. 
O Boletim Genômico 2 relata que o morador teve os primeiros sintomas em 29 de janeiro. A coleta de material para o exame da Covid-19 foi em 1º de fevereiro. Segundo a investigação, o homem não viajou para fora do Estado ou teve contato com pessoas que viajaram.
Desde março de 2020, a pesquisa com base em amostras coletadas em diversas regiões identificou 19 linhagens do SARS-CoV-2 (nome científico do novo coronavírus) circulantes. "As mais frequentes foram as mesmas também identificadas no restante do Brasil: B.1.1.33, B.1.1.28 e P.2", diz o boletim. 
Segundo o site do Estado, a maioria dos exames foi realizada pelo Laboratório Central do Estado (Lacen/RS) e Laboratório de Microbiologia Molecular da Universidade Feevale. Os dados são enviados à Rede Genômica da Fiocruz e ao Laboratório Nacional de Computação Científica.
A notícia sobre a nova variante reforçou o nível de alerta emitido também nessa sexta-feira pelo Gabinete de Crise do Palácio Piratini, ante o aumento de internações por Covid-19, da ocupação em UTIs e de óbitos nas últimas semanas. O efeito foi sentido no mapa preliminar, a ser confirmado na segunda-feira (15), com mais regiões com bandeira vermelha, de alto risco da pandemia. O Estado se aproxima de 600 mil contaminados e já soma 11,3 mil mortes por Covid-19.
Com o feriadão de Carnaval atípico, no qual festejos estão proibidos, a preocupação é de mais contaminação e ainda riscos associados à presença do vírus mais contagioso, caso se confirme mais casos. Não há indicação de complicações mais graves associadas à variante. 
Comentários CORRIGIR TEXTO