Porto Alegre, domingo, 31 de janeiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 31 de janeiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

coronavírus

- Publicada em 09h51min, 31/01/2021. Atualizada em 17h02min, 31/01/2021.

Em novo decreto, governo do RS interdita praias na véspera de feriado religioso

Litoral, rios e lagos não podem ser frequentados das 18h de segunda-feira (1) até as 8h de terça-feira (2)

Litoral, rios e lagos não podem ser frequentados das 18h de segunda-feira (1) até as 8h de terça-feira (2)


Juliana Sória/divulgação/JC
Temendo aglomerações em celebrações pela data desta terça-feira (2), festa de Nossa Senhora de Navegantes e Iemanjá, que é feriado em alguns locais, como Porto Alegre, o Governo do Rio Grande do Sul publicou um novo decreto na noite deste sábado (30). Para evitar a propagação do novo coronavírus em qualquer nível de bandeira, foi atualizado o Decreto 55.736, que estabelece os protocolos do Distanciamento Controlado no Estado.
Temendo aglomerações em celebrações pela data desta terça-feira (2), festa de Nossa Senhora de Navegantes e Iemanjá, que é feriado em alguns locais, como Porto Alegre, o Governo do Rio Grande do Sul publicou um novo decreto na noite deste sábado (30). Para evitar a propagação do novo coronavírus em qualquer nível de bandeira, foi atualizado o Decreto 55.736, que estabelece os protocolos do Distanciamento Controlado no Estado.
Entre as novas medidas, estão a proibição de aglomerações com mais de 10 pessoas em todas as celebrações religiosas de qualquer região e, visando exclusivamente o próximo feriado, todas as praias do Litoral gaúcho e as águas internas (rios e lagoas) devem ser interditadas das 18h de segunda-feira (1) até as 8h de terça-feira (2).
As medidas foram discutidas entre o governador Eduardo Leite e líderes de diferentes credos na manhã de sexta-feira (29). Além das regras sujeitas à fiscalização, entidades representantes de religiões de matriz africana e católica definiram agir juntos, no sentido de conscientizar os fiéis a seguirem os protocolos e, antes de mais nada, protegem a si mesmos e aos outros, principalmente os mais idosos, que são a maioria nessas celebrações.
Como os líderes religiosos já haviam cancelado procissões e excursões em grupo e optado por realizar carretas em homenagem à Iemanjá e Navegantes, o decreto também estabelece regras para esse tipo de atividade, permitindo que as pessoas fiquem exclusivamente dentro dos veículos. 
Missas e cultos seguem permitidos desde que obedeçam ao limite de 50% de público na bandeira amarela, 30% na bandeira laranja e 20% ou máximo 30 pessoas na vermelha. Em todos os níveis, a ocupação de assentos deve ser intercalada, respeitando distanciamento mínimo de um metro entre pessoas e/ou grupos de coabitantes, e o uso de máscaras é obrigatório.
“Todas as manifestações religiosas merecem, têm e seguirão tendo o nosso respeito. Mas, a partir do momento em que geram aglomerações e que isso pode significar a disseminação do vírus, mais pessoas contaminadas e perdermos pessoas queridas, isso se torna uma responsabilidade coletiva”, afirmou o governador durante reunião realizada no Palácio Piratini na sexta-feira (29).
Comentários CORRIGIR TEXTO