Porto Alegre, sexta-feira, 22 de janeiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 22 de janeiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

SAÚDE

- Publicada em 20h12min, 21/01/2021. Atualizada em 01h38min, 22/01/2021.

Eduardo Leite vai visitar farmacêutica que deve produzir vacina russa no Brasil

Em audiência virtal, equipe do RS tratou da produção do imunizante com diretores da empresa

Em audiência virtal, equipe do RS tratou da produção do imunizante com diretores da empresa


COMUNICAÇÃO SES/DIVULGAÇÃO/JC
Fernanda Crancio
O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, viaja a São Paulo na próxima terça-feira (26) para uma reunião com a diretoria da empresa União Química, responsável por produzir a vacina russa Sputnik V no Brasil. Representantes da empresa se reuniram nesta quinta-feira (21) com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, viaja a São Paulo na próxima terça-feira (26) para uma reunião com a diretoria da empresa União Química, responsável por produzir a vacina russa Sputnik V no Brasil. Representantes da empresa se reuniram nesta quinta-feira (21) com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
O encontro é um desdobramento da primeira conversa mantida pelo Executivo gaúcho com a companhia, nesta quinta-feira (21), por meio de videoconferência, comandada pela secretária da Saúde, Arita Bergmann.
Segundo o Palácio Piratini, a reunião virtual serviu para que a equipe conhecesse a empresa e o estágio de produção do imunizante no Brasil. A vacina, já em uso em alguns países, ainda depende de aprovação da Anvisa. O STF chegou a dar prazo para a agência e manifestar.
A avaliação da secretária Arita é de que pode haver a possibilidade de liberação do uso emergencial do imunizante fabricado no País, uma vez que há 10 milhões de doses da vacina para exportação na Rússia.
No Brasil, a produção já conta com lote piloto de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA), o princípio ativo do imunizante. A estimativa da União Química é de conseguir produzir 8 milhões de doses da vacina por mês.
Comentários CORRIGIR TEXTO