Porto Alegre, terça-feira, 19 de janeiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 19 de janeiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Coronavírus

- Publicada em 10h07min, 18/01/2021. Atualizada em 01h54min, 19/01/2021.

Rio Grande do Sul receberá 341,8 mil doses da vacina Coronavac

Governador antecipou que profissional do Hospital de Clínicas deve ser a primeira imunizada no RS

Governador antecipou que profissional do Hospital de Clínicas deve ser a primeira imunizada no RS


Twitter Eduardo Leite/REPRODUÇÃO/JC
Juliano Tatsch
O Rio Grande do Sul será o quinto estado a receber a maior quantidade de doses de vacina no primeiro esforço para distribuição da Coronavac no Brasil, iniciado na manhã desta segunda-feira (18). Conforme o Ministério da Saúde, serão 341.800 doses enviadas para o Estado. Confira quantas doses cada estado irá receber.
O Rio Grande do Sul será o quinto estado a receber a maior quantidade de doses de vacina no primeiro esforço para distribuição da Coronavac no Brasil, iniciado na manhã desta segunda-feira (18). Conforme o Ministério da Saúde, serão 341.800 doses enviadas para o Estado. Confira quantas doses cada estado irá receber.
O governador Eduardo Leite esteve na manhã desta segunda-feira no Centro de Distribuição Logística do Ministério da Saúde, em Guarulhos (SP), de onde garantiu que a vacinação começa ainda nesta segunda-feira no RS.
Após ter anunciado a chegada das vacinas à tarde, com solenidade para primeira aplicação por volta das 18h, o Palácio Piratini confirmou que os lotes chegarão no Aeroporto Salgado Filho às 20h25min, vindo num voo da Azul. O Rio Grande do Sul iria receber vacinas também via terrestre, mas por definição do Ministério da Saúde as doses chegarão apenas via aérea.
O governo gaúcho ainda está organizando a estruturação de todo o processo e divulgará em breve os próximos passos a serem tomados. O que já se sabe é que assim que chegarem ao Estado as vacinas começarão a ser distribuídas para as 18 regionais de saúde.
“Vamos receber as doses na tarde desta segunda e iniciar ainda hoje o processo de imunização. Temos uma rede de saúde bem distribuída e toda a rede logística já preparada. Transporte, rede de frio, seringas agulhadas, ou seja, tudo pronto para iniciar esse grande processo de vacinação assim que as doses chegarem à capital gaúcha. E, em 24 horas, as doses estarão em todas as regiões do Estado, para que elas também possam iniciar a aplicação, respeitando as faixas definidas no Plano Nacional de Imunizações (PNI)”, disse Leite.
No Rio Grande do Sul, esse primeiro lote de doses será distribuído da seguinte maneira: 
  • Pessoas com 60 anos ou mais institucionalizadas - 9.510 doses
  • Pessoas com deficiência institucionalizadas - 380
  • População indígena vivendo em terras indígenas - 14.348
  • Trabalhadores da saúde - 138.523
Detalhes a respeito de quem será a primeira pessoa vacinada ainda não foram dados, mas, em entrevista à Rádio Gaúcha, Leite antecipou que a primeira gaúcha imunizada será uma mulher, profissional do Hospital de Clínicas.
Os governadores participaram de uma cerimônia de entrega das vacinas de onde partiu a carga de cerca de 44 toneladas. O início da vacinação se tornou possível neste domingo (18), com a aprovação do uso emergencial da Coronavac e da vacina da Oxford no país pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
São Paulo receberá a maior quantidade de doses, 1.357.040, seguido de Minas Gerais, com 577.680. Na sequência, vem os estados do Rio de Janeiro (488.320) e da Bahia (376.600).
O ministério informou que a logística contará com aviões e caminhões preparados para a refrigeração dos imunizantes. Além dos aviões da FAB, aeronaves das companhias aéreas Azul, Gol, Latam e Voepass farão o transporte gratuito da vacina para as capitais brasileiras. Após a chegada dos imunizantes às capitais, a distribuição passa a ser feita por cada Estado, com apoio do Ministério da Defesa.
Comentários CORRIGIR TEXTO