Porto Alegre, quarta-feira, 13 de janeiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 13 de janeiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Saúde

- Publicada em 17h38min, 12/01/2021. Atualizada em 09h43min, 13/01/2021.

Rio Grande do Sul tem o maior número de mortes divulgadas em um dia em 2021

Foram 121 novos óbitos contabilizados pela SES; são 9.619 vidas perdidas ao todo

Foram 121 novos óbitos contabilizados pela SES; são 9.619 vidas perdidas ao todo


SILVIO AVILA/AFP/JC
O Rio Grande do Sul voltou a bater marcas negativas da pandemia nesta terça-feira (12). Com mais 121 óbitos, o Estado registrou o maior número de mortes em decorrência da Covid-19 divulgadas em um só dia desde que começou 2021. São 9.619 vidas perdidas ao todo, segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES).
O Rio Grande do Sul voltou a bater marcas negativas da pandemia nesta terça-feira (12). Com mais 121 óbitos, o Estado registrou o maior número de mortes em decorrência da Covid-19 divulgadas em um só dia desde que começou 2021. São 9.619 vidas perdidas ao todo, segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES).
Na primeira semana do ano, foram dois dias seguidos com mais de 100 mortes no boletim diário: 107, no dia 5 de janeiro, e 101 no dia 6. O recorde é do fim de dezembro de 2020, quando o Estado contabilizou 144 mortes em só dia
O número de casos confirmados de coronavírus segue em alta. Foram 3.935 novas infecções nas últimas 24 horas, elevando para 485.757 o total de registros da doença no Rio Grande do Sul. Desses, 461.004 ou 95% estão curados.
A taxa de ocupação dos leitos de UTIs no Estado é de 76,3%, segundo o monitoramento da SES. São 2.014 pacientes internados com diagnóstico positivo ou suspeita de coronavírus. 
Nesta quarta-feira (13), o governo gaúcho inicia a liberação de mais 168 leitos de UTI. O anúncio foi feito na semana passada para suprir a demanda crescente por internações. Do total, 100 leitos serão abertos e reativados, e 68 unidades ficarão à espera para serem habilitadas conforme necessidade. Os leitos de retaguarda serão abertos todos em Porto Alegre.
Cruz Alta e Osório serão os primeiros municípios a disponibilizar os novos leitos. Serão 10 no Hospital São Vicente de Paulo, em Osório, e outros 10 no Hospital São Vicente de Paulo de Cruz Alta. Outros 80 leitos novos e reativados devem ser liberados em Pelotas, Porto Alegre e Canoas. Veja abaixo a lista de onde ficarão as unidades de tratamento intensivo:

Hospitais com leitos novos e reativados

• Hospital São Vicente de Paulo (Osório) - 10
• Hospital São Vicente de Paulo (Cruz Alta) - 10
• Hospital Universitário São Francisco (Pelotas) - 10
• HPS de Porto Alegre - 10
• Hospital Vila Nova (Porto Alegre) - 16
• Hospital Restinga (Porto Alegre) - 10
• Hospital Universitário (Canoas) - 15
• Hospital Beneficência Portuguesa de Porto Alegre - 19

Hospitais com leitos operacionais de retaguarda 

• Hospital Cristo Redentor (Porto Alegre) - 18
• Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre - 30
• Hospital de Clínicas (Porto Alegre) - 20
Comentários CORRIGIR TEXTO