Porto Alegre, sexta-feira, 08 de janeiro de 2021.
Dia Nacional do Fotógrafo.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 08 de janeiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Saúde

- Publicada em 17h50min, 08/01/2021.

Mourão recebe alta médica e retornará atividades na semana que vem

Mourão estava em isolamento no Palácio do Jaburu desde o dia 27 de dezembro

Mourão estava em isolamento no Palácio do Jaburu desde o dia 27 de dezembro


Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasilia/Divulgação/JC
Isolado desde o seu diagnosticado positivo para a Covid-19, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, recebeu nesta sexta-feira (8) alta médica e retornará ao expediente normal a partir da semana que vem. A informação foi divulgada em nota pela assessoria da Vice-Presidência.
Isolado desde o seu diagnosticado positivo para a Covid-19, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, recebeu nesta sexta-feira (8) alta médica e retornará ao expediente normal a partir da semana que vem. A informação foi divulgada em nota pela assessoria da Vice-Presidência.
"O Vice-Presidente da República, Hamilton Mourão, diagnosticado com Covid-19, recebeu alta médica nesta data, retornando às atividades normais na próxima segunda-feira, 11", informou a nota.
Na terça-feira, 5, a assessoria já havia relatado que o vice-presidente estava bem, com "resultados normais" em seus exames e seguindo com um programa de exercícios respiratórios, orientados por uma fisioterapeuta.
O tratamento de Mourão incluiu ainda os medicamentos hidroxicloroquina, Annita, azitromicina e remédios para dor e febre, de acordo com informações da assessoria.
O diagnóstico positivo do vice-presidente para o vírus no fim do ano se somou à lista de demais autoridades do primeiro escalão do governo que também foram infectadas.
Além do presidente Jair Bolsonaro, que contraiu a doença em julho, 14 ministros também tiveram a Covid-19.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO