Porto Alegre, sexta-feira, 01 de janeiro de 2021.
Dia da Fraternidade Universal. Ano Novo.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 01 de janeiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Saúde

- Publicada em 20h47min, 01/01/2021. Atualizada em 22h27min, 01/01/2021.

Região de Bagé é única com bandeira preta no 1º mapa preliminar da pandemia de 2021

Bagé é a única com risco altíssimo devido a uma pressão e limites para atendimento hospitalar

Bagé é a única com risco altíssimo devido a uma pressão e limites para atendimento hospitalar


GOVERNO RS/DIVULGAÇÃO/JC
Bagé representa a única região com bandeira preta, de risco altíssimo, no primeiro mapa preliminar do Distanciamento Controlado de 2021, divulgado no fim da tarde desta sexta-feira (1) pelo governo gaúcho. A versão definitiva para vigorar de 5 a 11 de janeiro será definida na segunda-feira (4).
Bagé representa a única região com bandeira preta, de risco altíssimo, no primeiro mapa preliminar do Distanciamento Controlado de 2021, divulgado no fim da tarde desta sexta-feira (1) pelo governo gaúcho. A versão definitiva para vigorar de 5 a 11 de janeiro será definida na segunda-feira (4).
Porto Alegre e cidades que estão na macrorregião na RMPA se mantiveram em alto risco (vermelha) na 35ª rodada do sistema. O agora prefeito empossado, Sebastião Melo, diz que quer sistema próprio de distanciamento e gerenciamento de risco.
A rodada que vigora até segunda-feira (4) tem 15 regiões em vermelha e seis em laranja. 
Bagé estava em bandeira vermelha e laranja, respectivamente. Segundo o comitê de dados que gerencia indicadores para definir a situação de risco, a macrorregião Sul teve piora na relação de leitos livres e pacientes internados com Covid-19 e na taxa de hospitalizações a cada 100 mil habitantes.
A cor preta é acionada devido à maior pressão no sistema que apresenta limitação da capacidade de atendimento.
No mapa preliminar, 13 regiões aparecem com bandeira vermelha, de risco epidemiológico alto. Pelotas, que estava em laranja, aparece agora em vermelha, e outras 16 regiões seguem em vermelha: Cachoeira do Sul, Canoas, Capão da Canoa, Caxias do Sul, Ijuí, Lajeado, Palmeira das Missões, Passo Fundo, Santa Cruz do Sul, Santa Rosa e Santo Ângelo.
Em bandeira laranja, de risco médio, estão Santa Maria, Uruguaiana, Taquara, Novo Hamburgo, Guaíba, Cruz Alta e Erechim. Regiões de Guaíba e Uruguaiana que não têm cogestão estão em bandeira laranja.
Dos 497 municípios gaúchos, 360 estão com alto risco, somando 8,2 milhões de habitantes (73,2% da população), estima o Estado. Desse grupo, 126 cidades podem seguir protocolos de bandeira laranja por "cumprirem os critérios da Regra 0-0". A regra dá conta de localidades sem óbitos ou hospitalização nos últimos 14 dias. Esta medida é condicionada a um regulamento local.
Comentários CORRIGIR TEXTO