Porto Alegre, terça-feira, 08 de dezembro de 2020.
Dia da Família.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 08 de dezembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Saúde

- Publicada em 16h34min, 08/12/2020. Atualizada em 19h10min, 08/12/2020.

Com alta nos casos de Covid-19, Divina Providência restringe atendimentos

Hospital restringiu serviços nas emergência adulta e obstétrica e reprogramar cirurgias não eletivas

Hospital restringiu serviços nas emergência adulta e obstétrica e reprogramar cirurgias não eletivas


HOSPITAL DININA PROVIDÊNCIA/DIVULGAÇÃO/JC
O avanço de casos e mais demanda por internação em UTIs levaram mais um hospital de Porto Alegre a anunciar a restrição de atendimento. Desta vez foi o Hospital Divina Providência, que atende apenas pacientes de convênios e privados.
O avanço de casos e mais demanda por internação em UTIs levaram mais um hospital de Porto Alegre a anunciar a restrição de atendimento. Desta vez foi o Hospital Divina Providência, que atende apenas pacientes de convênios e privados.
A Capital soma nesta terça-feira (8) 293 casos de Covid-19 em UTIs. A lotação total dos 806 leitos é de 89,51%. Os hospitais Mãe de Deus, Moinhos de Vento e Restinga estão com 100% de lotação nas unidades intensivas. No Estado, também cresce a ocupação em leitos.
O Hospital Moinhos de Vento foi o primeiro a fechar emergência e não receber mais casos da pandemia. Depois, foi a vez do Mãe de Deus. Também passaram a ter restrições o Hospital Conceição e Hospital de Clínicas. O Hospital Ernesto Dornelles (HED) completa a lista de emergências restritas na Capital. O HED, Mãe de Deus e Moinhos suspenderam o atendimento à Covid-19.  
Além dos doentes ou suspeitos do novo coronavírus, também a demanda de outras doenças eleva a lotação da instituição, explicou, por nota, o Divina Providência.
"Os serviços de Emergência Adulto e Obstétrica estão restritos, por 72 horas, a partir desta terça-feira", projeta a instituição.
A medida também vai provocar o reagendamento de procedimentos cirúrgicos eletivos, que serão definidos por médicos e a direção. 
A ocupação de UTIs disparou nas últimas semanas, levando à retomada de medidas para conter a transmissão no Estado, como redução de horários de atividades, cancelamento de eventos e até proibição para ficar na orla de praias. Decreto estadual definiu as restrições até 14 de dezembro. O mapa das bandeiras tem esta semana 20 das 21 regiões na cor vermelha, de alto risco. 
Nesta terça-feira, as UTIs estaduais (SUS e privadas) somam 2.090 pacientes em 2.554 leitos, com ocupação de 81,8%, para todos os tipos de doenças. Do total de doentes, 1.881 são atendidos pelo sistema único. São 1.028 casos de outras enfermidades, 902 com Covid-19 e 160 suspeitos do novo coronavírus. 
Comentários CORRIGIR TEXTO