Porto Alegre, sexta-feira, 16 de outubro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 16 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Saúde

- Publicada em 12h11min, 02/08/2020. Atualizada em 20h20min, 02/08/2020.

Porto Alegre volta a ter recorde de casos de Covid-19 em UTIs, após recuo de internações

Maiores hospitais, como o Clínicas, estão com níveis de ocupação de suas UTIs acima de 90%

Maiores hospitais, como o Clínicas, estão com níveis de ocupação de suas UTIs acima de 90%


HCPA/DIVULGAÇÃO/JC
Patrícia Comunello
O alerta voltou a soar na pandemia do novo coronavírus em Porto Alegre. Após alguns dias de queda no número de internações por Covid-19 em UTIs, a Capital voltou a registrar maior demanda, que alcançou neste domingo (2) o maior nível na crise sanitária. São 324 doentes com a enfermidade, além de 35 suspeitos, internados. A lotação beira os 90% dos 812 leitos do setor tanto em hospitais públicos como privados. A prefeitura condiciona reabertura de atividades à menor pressão nas UTIs.
O alerta voltou a soar na pandemia do novo coronavírus em Porto Alegre. Após alguns dias de queda no número de internações por Covid-19 em UTIs, a Capital voltou a registrar maior demanda, que alcançou neste domingo (2) o maior nível na crise sanitária. São 324 doentes com a enfermidade, além de 35 suspeitos, internados. A lotação beira os 90% dos 812 leitos do setor tanto em hospitais públicos como privados. A prefeitura condiciona reabertura de atividades à menor pressão nas UTIs.
Grandes hospitais como Moinhos de Vento, Clínicas, Conceição e Mãe de Deus estão com ocupação acima de 90% - o Moinhos ostenta 98% de uso de suas vagas, Mãe de Deus, 95%, e o Conceição, 94%. Já Santa Casa e São Lucas da Pucrs estão com níveis abaixo de 80%. A Santa Casa vem ampliando vagas
O nível de ocupação das UTIs é um dos indicadores que mais pesam para definir a bandeira vermelha em Porto Alegre dentro do sistema de distanciamento controlado, que impõe restrições maiores a setores econômicos. Desde começo de julho, medidas restritivas foram reativadas na cidade.
Também o número de óbitos pesa, e está ocorrendo crescimento de mortes. Nesse sábado (1), a Capital chegou a 435 vítimas fatais da doença.  
Neste domingo, a pressão aumentou de 22 segmentos econômicos, que emitiram manifesto "Aos cidadãos de Porto Alegre" pedindo reabertura imediata de atividades.  
O Rio Grande do Sul ultrapassou 70 mil casos de coronavírus e soma 1.857 mortes até esse sábado. As UTIs em todo o Estado registravam 76% de ocupação na manhã deste domingo, segundo o painel da pandemia atualizado pela Secretaria Estadual da Saúde.   
Comentários CORRIGIR TEXTO