Porto Alegre, domingo, 26 de julho de 2020.
Dia dos Avós.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 26 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

saúde

- Publicada em 16h46min, 26/07/2020. Atualizada em 17h31min, 26/07/2020.

Rio Grande do Sul tem quase 60 mil casos confirmados de Covid-19

Óbitos chegam a 1.571 pessoas; Porto Alegre bate novo recorte de ocupação de UTIs

Óbitos chegam a 1.571 pessoas; Porto Alegre bate novo recorte de ocupação de UTIs


HCPA/DIVULGAÇÃO/JC
O Rio Grande do Sul alcançou 59.779 casos de Covid-19 desde o início da pandemia. Neste domingo (26), a Secretaria Estadual da Saúde (SES) divulgou 664 novos registros. A ocorrência do vírus já foi confirmada em 461 dos 497 municípios gaúchos.
O Rio Grande do Sul alcançou 59.779 casos de Covid-19 desde o início da pandemia. Neste domingo (26), a Secretaria Estadual da Saúde (SES) divulgou 664 novos registros. A ocorrência do vírus já foi confirmada em 461 dos 497 municípios gaúchos.
A pasta também confirmou mais 17 óbitos pela doença. Assim, o total de mortes chega a 1.571 de acordo com a SES. As novas vítimas tinham entre 50 e 97 anos. Já contabilizando os dados da Secretaria Municipal da Saúde, o número de mortes é de 1.574, uma vez que há um atraso entre os dados divulgados pela prefeitura da Capital e a contabilização pela pasta estadual.
Em Porto Alegre, foram registrados dois novos óbitos, um homem de 76 anos e uma mulher de 79 anos. Com isso, a Capital soma 266 mortes por Covid-19 até a tarde deste domingo. Porto Alegre ainda bateu novo recorde de pessoas internadas em UTIs por conta do vírus, com 312 pacientes hospitalizados em leitos intensivos no município com diagnóstico confirmado da doença. A lotação de UTIS nos hospitais de Porto Alegre, no fim da tarde deste domingo, era de 89,08%. No Estado, era de 76,80%.
O total de pacientes recuperados no Estado é de 50.561, o que representa 85% dos casos.
Comentários CORRIGIR TEXTO