Porto Alegre, sexta-feira, 24 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 24 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

saúde

Atualizada em 20h16min, 24/07/2020.

UFPel negocia com 'potenciais financiadores' para manter pesquisa nacional da Covid

Pesquisa de abrangência nacional investiga a prevalência do vírus da Covid-19 entre os brasileiros

Pesquisa de abrangência nacional investiga a prevalência do vírus da Covid-19 entre os brasileiros


IMPRENSA EPIDEMIOLOGIA UFPEL/DIVULGAÇÃO/JC
Após o Ministério da Saúde decidir não renovar o contrato de financiamento com a Universidade Federal de Pelotas (UFPel) para continuidade do Epicovid19-BR, a instituição informou que está em tratativas com outros potenciais financiadores para garantir a continuidade do levantamento.
Após o Ministério da Saúde decidir não renovar o contrato de financiamento com a Universidade Federal de Pelotas (UFPel) para continuidade do Epicovid19-BR, a instituição informou que está em tratativas com outros potenciais financiadores para garantir a continuidade do levantamento.
Em nota, a UFPel disse ficou sabendo do fim da pesquisa pela mídia e que a informação foi confirmada posteriormente pelo Ministro Interino da Saúde, em entrevista coletiva. 
"Ao invés de apenas lamentar a decisão e aceitar a descontinuidade do maior estudo epidemiológico do país sobre o coronavírus, a UFPel informa à população brasileira que está em tratativas avançadas com outros potenciais financiadores para garantir a continuidade do EPICOVID19-BR; assim que os contratos forem assinados, viremos à público dar ciência a todos", diz a nota.
A pesquisa de abrangência nacional é responsável por investigar a prevalência do vírus da Covid-19 entre os brasileiros. A Epicovid foi realizada em três etapas, já encerradas. Os trabalhos eram coordenados pelo Centro de Pesquisas Epidemiológicas da UFPel e executados pelo Ibope. O investimento era de R$ 12 milhões. 
Os últimos resultados divulgados da pesquisa apontavam que, para cada 1 milhão de gaúchos, estimava-se que existiam 4.667 infectados reais e apenas 2.219 casos notificados.
Comentários CORRIGIR TEXTO