Porto Alegre, sexta-feira, 24 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 24 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

SAÚDE

- Publicada em 16h36min, 24/07/2020. Atualizada em 16h36min, 24/07/2020.

Alegrete, na Fronteira Oeste gaúcha, decreta lockdown temporário no final de semana

Santa Casa de Caridade de Alegrete, que esgotou leitos de UTI na quinta, tem 70% de ocupação

Santa Casa de Caridade de Alegrete, que esgotou leitos de UTI na quinta, tem 70% de ocupação


GOOGLE STREET VIEW/REPRODUÇÃO/JC
Fernanda Crancio
Para evitar o esgotamento dos leitos de UTI no único hospital da cidade e diminuir as internações e atendimentos no hospital de campanha instalado no município, a prefeitura de Alegrete, na Fronteira Oeste gaúcha, decretará lockdown temporário a partir das 21h30min desta sexta-feira (24), até às 6h de segunda-feira (27). A interrupção de serviços, indústria, comércio e proibição de circulação de pessoas ao longo do final de semana foi a forma encontrada pela gestão municipal para alertar a população da importância de cumprir as medidas restritivas, evitar aglomerações e minimizar a disseminação da Covid-19.
Para evitar o esgotamento dos leitos de UTI no único hospital da cidade e diminuir as internações e atendimentos no hospital de campanha instalado no município, a prefeitura de Alegrete, na Fronteira Oeste gaúcha, decretará lockdown temporário a partir das 21h30min desta sexta-feira (24), até às 6h de segunda-feira (27). A interrupção de serviços, indústria, comércio e proibição de circulação de pessoas ao longo do final de semana foi a forma encontrada pela gestão municipal para alertar a população da importância de cumprir as medidas restritivas, evitar aglomerações e minimizar a disseminação da Covid-19.
 
De acordo com o prefeito Márcio Amaral, os alegretenses têm tido dificuldade em aceitar as medidas restritivas e, apesar da ampla colaboração dos setores da economia local, seguem circulando amplamente nos comércios, parques e reunindo círculos de amigos e familiares. Embora a prefeitura esteja desde março com uma fiscalização atuante- que já culminou na abordagem de mais de 4,2 mil pessoas e estabelecimentos e arrecadou mais de R$ 600 mil em multas-, o alerta surgiu no meio da tarde de quinta-feira (23), quando a Santa Casa de Caridade de Alegrete chegou a 100% de ocupação dos leitos de UTI, o que foi revertido logo na mesma noite.
Com 10 leitos de UTI exclusivamente para pacientes com Covid-19 e outros 10 leitos para atendimentos regulares, até o início da tarde desta sexta-feira (24) a ocupação da UTI estava em 70%. Além disso, o hospital de campanha, que tem 30 leitos disponíveis, chegou também a 70% de lotação. "Por isso nos mobilizamos para chamar a atenção da população para a dificuldade do momento que vivemos, principalmente no atendimento à saúde", explica o prefeito.
Segundo dados do governo do Estado, Alegrete teve 9 óbitos e 162 casos da doença até agora, mas a prefeitura registra 173 contaminados até quinta. Classificada no distanciamento controlado desta semana em risco médio, com bandeira laranja, a cidade registrou 46 novos casos da doença e 2 óbitos por Covid ao longo da semana. Para o prefeito, esses números devem indicar o agravamento dos indicadores para a próxima semana e não seria exagero, segundo ele, que a região migrasse para a bandeira vermelha no novo mapa, que será divulgado até o final da tarde. "Recorremos da bandeira vermelha semana passada, mas diante da piora do quadro esta semana, não quero saber de ninguém me pedindo recurso de novo", adiantou Amaral.
O prefeito já havia pensado em determinar lockdown exclusivamente no domingo, dia que registra maior movimentação nas ruas e parques, mas teve de ampliar a restrição para evitar que o hospital volte a ter 100% de ocupação de leitos de UTI. "A campanha de conscientização das pessoas aqui não tem surtido efeito, o jeito é fechar comércio, restaurantes, bares e proibir a circulação. As pessoas parecem que se sentem estimuladas a ir para a rua por causa da bandeira laranja", ressaltou.
Estarão fechados restaurantes, lanchonetes, padarias, supermercados e mercados de bairro. No entanto, delivery será permitido. Abrem apenas o hospital, farmácias e postos de combustível, além de hotéis e caixas eletrônicos. Clínicas médicas e veterinárias têm permissão para atender casos de emergência. A fiscalização do cumprimento do lockdown, amplamente divulgado nas redes sociais, site da prefeitura e nas rádios locais será feita pela equipe de fiscalização da prefeitura, com apoio da Brigada Militar e da Polícia Civil.
Comentários CORRIGIR TEXTO