Porto Alegre, sexta-feira, 16 de outubro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 16 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

distanciamento controlado

- Publicada em 18h27min, 17/07/2020. Atualizada em 18h46min, 17/07/2020.

Rio Grande do Sul tem 90% das regiões em bandeira vermelha no mapa preliminar

Apenas as regiões de Bagé e Pelotas ficaram com bandeira laranja na 11ª rodada

Apenas as regiões de Bagé e Pelotas ficaram com bandeira laranja na 11ª rodada


GOVERNO DO ESTADO/DIVULGAÇÃO/JC
Uma piora expressiva pelo agravamento da pandemia fez com que 18 regiões gaúchas fossem classificadas com alto risco no distanciamento controlado em vigor no Rio Grande do Sul. O mapa preliminar divulgado no fim da tarde desta sexta-feira (17) mostra que 90% das regiões está em bandeira vermelha.
Uma piora expressiva pelo agravamento da pandemia fez com que 18 regiões gaúchas fossem classificadas com alto risco no distanciamento controlado em vigor no Rio Grande do Sul. O mapa preliminar divulgado no fim da tarde desta sexta-feira (17) mostra que 90% das regiões está em bandeira vermelha.
Apenas as regiões de Bagé e Pelotas ficaram com bandeira laranja na 11ª rodada do sistema que avalia as condições de enfrentamento da doença no Estado. Pelotas, na região Sul, teve melhora nos indicadores suficiente para ter regressão na bandeira, passando de vermelha para a laranja, enquanto Bagé, na Campanha, foi a única que permaneceu no mesmo nível, com cor laranja. As bandeiras definitivas serão divulgadas na segunda-feira (20), após avaliação dos recursos das prefeituras, passando a valer a partir de terça-feira (21).
Nove regiões apresentaram piora nos indicadores com relação à semana anterior. Cruz Alta, Erechim, Lajeado, Ijuí, Santa Cruz do Sul, Santa Maria, Santa Rosa, Santo Ângelo e Uruguaiana saíram da bandeira laranja para a vermelha, juntando-se a Porto Alegre, Canoas, Cachoeira do Sul, Capão da Canoa, Caxias do Sul, Novo Hamburgo, Palmeira das Missões, Passo Fundo e Taquara, que já estavam com risco alto.
O resultado afeta 10.273.823 habitantes, ou seja, 91% da população gaúcha presente nos 469 municípios classificados com a bandeira vermelha. 
Cinco regiões ficaram muito próximas de migrarem para o nível de risco altíssimo. Para atingir a bandeira preta, o arredondamento da média ponderada dos 11 indicadores deve alcançar, no mínimo, 2,5, enquanto a da bandeira vermelha é 1,5. Nesta rodada, Taquara ficou média de 2,40, Porto Alegre (2,36), Capão da Canoa (2,33) e Novo Hamburgo e Canoas (2,25). O agravante nesses locais foi aumento do número de novos registros de hospitalizações nos últimos sete dias.
O Estado ainda chama atenção para o agravamento da situação na região de Santa Maria. Em uma semana, o número de pacientes de Covid-19 em UTI saltou de 10 para 18. A disponibilidade de leitos de unidade intensiva recuou de 49 para 36.
Comentários CORRIGIR TEXTO