Porto Alegre, quarta-feira, 01 de julho de 2020.
Dia Mundial da Arquitetura.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 01 de julho de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Saúde

01/07/2020 - 18h40min. Alterada em 01/07 às 18h57min

RS: Número de casos do novo coronavírus sobe 136% em 30 dias

Rio Grande do Sul chegou a 638 mortes pela Covid-19; HCPA amplia leitos de UTI

Rio Grande do Sul chegou a 638 mortes pela Covid-19; HCPA amplia leitos de UTI


Camila Surian/Arte/JC
Depois de quatro meses do primeiro caso testado com Covid-19, o Rio Grande do Sul se aproxima de 30 mil infectados. O Estado registra alta de 136% no número de casos do novo coronavírus em 30 dias, passando de 12,3 mil, em 1º de junho, para pouco mais de 29 mil nesta quarta-feira, 1º de julho. 
Depois de quatro meses do primeiro caso testado com Covid-19, o Rio Grande do Sul se aproxima de 30 mil infectados. O Estado registra alta de 136% no número de casos do novo coronavírus em 30 dias, passando de 12,3 mil, em 1º de junho, para pouco mais de 29 mil nesta quarta-feira, 1º de julho. 
Segundo a Secretaria Estadual da Saúde (SES), foram 1,2 mil novos confirmados com a doença. O número de óbitos chega a 638, segundo Painel do Coronavírus, atualizado pelo Jornal do Comércio. São 21 novas vítimas fatais em 24 horas. Nessa terça-feira (30), os óbitos haviam alcançado 617 vítimas. Já 2,6 mil pessoas já se recuperaram da Covid-19.
Pelos dados da SES, as mortes nesta quarta foram registradas em Campo Bom, Carazinho, Caxias do Sul (três casos), Porto Alegre (quatro - sendo duas confirmadas nesta quarta pela Capital), Santo Antônio da Patrulha, São Leopoldo (duas mortes), São Luiz Gonzaga, Sapiranga, Sapucaia do Sul, Viamão, Esteio, Estrela, Montenegro e Novo Hamburgo (quatro casos). 
A estrutura de UTIs de Porto Alegre ganhou mais reforço nesta quarta-fera. O Hospital de Clínicas (HCPA) abriu mais cinco vagas, chegando a 66 leitos no total. A expansão segue a meta de chegar a 105 lugares, que é a capacidade total prevista para o centro de terapia intensiva no novo anexo da instituição. 
Se não tivesse acrescentado mais postos, a unidade teria lotado. Nesta quarta, até as 18h eram 56 pacientes, sendo 51 confirmados para Covid-19 e cinco de suspeitos de estar com o novo coronavírus. No painel de UTIs, eram 142 com a Covid-19 e 54 suspeitos. A soma dos dois grupos significa 35% da ocupação das unidades, que totalizavam 559 internações, com 79% da oferta de 702 vagas.
No Estado, as unidades de leitos intensivos tiveram elevação de casos com a doença, passando de 361 para 380, 24,4% das vagas com internados, quase 20 a mais. Houve recuo do número de suspeitos, que reduziram de 172 para 160. A ocupação total é de 72,3% da oferta de 2.151 leitos. Ijuí, Capão da Canoa e Novo Hamburgo apresentam nível mais elevado de pacientes, com mais de 80% das vagas com doentes, não só Covid-19.  

Brasil tem mais de mil novos óbitos por Covid-19 em 24 horas

O Ministério da Saúde confirmou 1.016 novos óbitos pela Covid-19 notificadas nas últimas 24 horas, alcançando 60.610 mortos pela doença no Brasil. A pasta também informou a soma de 45.482 infectados, o que eleva a 1.447.523 o número de casos do vírus no País.
O dado de óbitos não significa que todas as mortes ocorreram nas últimas 24 horas. Os casos, no entanto, estavam em investigação e foram confirmados neste período. Há 560.852 pacientes com Covid-19 ainda em acompanhamento e 826.061 recuperados.
"Embora o número (de casos) seja elevado, tem um número de óbitos, fase mais triste da doença,  mantendo-se em um 'platô' (quando atinge estabilidade), embora elevado, mas em um platô", disse o secretário de Vigilância Sanitária, Arnaldo Correia de Medeiros.
Comentários