Porto Alegre, domingo, 28 de junho de 2020.
Dia do Ministério Público Estadual.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 28 de junho de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

SAÚDE

26/06/2020 - 19h48min. Alterada em 28/06 às 12h51min

Entenda a nova rodada do distanciamento controlado no Rio Grande do Sul

Nova classificação das bandeiras no RS passam a valer a partir de terça-feira (30)

Nova classificação das bandeiras no RS passam a valer a partir de terça-feira (30)


maria ana krack - pmpa/divulgação/jc
Nesta semana, o governo do Estado efetiva a nova sistemática de divulgação das bandeiras do modelo de distanciamento controlado. Depois de coletados os dados finais na quinta-feira (25), o mapa preliminar com as cores das 20 regiões foi divulgado nesta sexta (26).
Nesta semana, o governo do Estado efetiva a nova sistemática de divulgação das bandeiras do modelo de distanciamento controlado. Depois de coletados os dados finais na quinta-feira (25), o mapa preliminar com as cores das 20 regiões foi divulgado nesta sexta (26).
 
A partir da meia-noite de sábado (27), as regiões que tiverem redução no risco epidemiológico já terão vigência da nova bandeira. Já as que permaneceram com a mesma cor ou tiverem aumento no nível terão prazo até as 6h30min de domingo (28) para entrarem com recursos. Na segunda-feira (29), o gabinete de crise analisará os dados e divulgará o novo resultado. As bandeiras definitivas passam a valer na terça-feira (30).
 

Confira a situação geral das regiões:

PORTO ALEGRE, REGIÃO METROPOLITANA, CANOAS E CAPÃO DA CANOA
Porto Alegre segue com a classificação de risco alto no distanciamento controlado por conta do aumento das hospitalizações por Covid-19, 57% entre de uma emana para a outra, 130 para 204 internações. Esse indicador apontou bandeira preta nesta rodada, sinalizando situação de elevada preocupação, principalmente se observado o aumento contínuo nas últimas três semanas. Também há aumento dos internos em UTI por síndromes respiratórias, de 118 para 163 entre as duas semanas, e de internados em UTI confirmados para Covid, de 80 para 124.
As regiões Metropolitana e de Canoas também obtiveram aumento nas hospitalizações confirmadas para Covid-19, nos casos de doenças respiratórias e internações em UTI. Além disso, a Metropolitana registra avanço na velocidade dos contágios e alerta na capacidade de atendimento.
Assim como nas demais regiões metropolitanas, com exceção de Taquara, Novo Hamburgo manteve a bandeira vermelha, mesmo com o número de hospitalizações tendo crescido menos que nas demais regiões metropolitanas, No entanto, a dimensão ainda é bastante elevada, indicando uma alta prevalência na região e indicador de maior valor entre todas as regiões.
Já a região de Capão da Canoa apresentou crescimento em três variáveis de avanço da doença: hospitalizações por Covid-19, ocupação de leitos clínicos e velocidade de avanço, ficando com bandeira preta em três indicadores de estágio da evolução e de incidência de novos casos, demonstrando a gravidade tanto da macro quanto da região em si.
MACRORREGIÃO NORTE, PALMEIRA DAS MISSÕES, ERECHIM
Com o agravamento do indicador de capacidade de atendimento, que avalia o quantitativo de leitos de UTI livres sobre os de ocupados por pacientes Covid, os indicadores de internados por síndromes respiratórias graves em UTI, em leitos clínicos e UTI por Covid e a capacidade de atendimento, as regiões de Palmeira das Missões, Erechim e Passo Fundo obtiveram bandeira final vermelha. Na última rodada de avaliação, a região de Palmeira das Missões já havia alcançado a situação de bandeira vermelha, ams apóss análises de recursos, reverteu para laranja. Os indicadores de propagação da doença e da capacidade de atendimento também tiveram deterioração na região, e as hospitalizações e ocupações de leitos clínicos e de UTI para confirmados Covid-19 seguem aumentando.
Embora tenha apenas um paciente de Covid-19 em UTI, a região de Palmeira das Missões ingressa na classificação de alto risco pelo expressivo número de casos ativos pela doença na última semana. São 193 registros neste período, critério que comparado aos casos recuperados recebeu bandeira preta. No indicador que apura o número de internados por Covid-19 no último dia do levantamento, Palmeiras das Missões teve um salto de seis para nove pacientes. Em compensação, a região conseguiu ampliar de 20 para 23 os leitos de UTI livres.
A regiao de Erechim não conseguiu reduzir o número de internados por Covid-19 em UTI de uma semana para outra. A região igualmente teve pequeno aumento dos casos confirmados de hospitalização por Covid-19 (de 9 para 10 registros) aos logo dos últimos sete dias.
Já Passo Fundo, obteve agravamento em praticamente todos os indicadores do modelo, sendo um dos reflexos a redução dos leitos de UTI disponíveis, que caiu de 32 para 27 unidades. Passo Fundo e municípios próximos somaram 377 casos ativos na última semana, o que ampliou o total de hospitalizações por Covid-19 no acumulado de sete dias, de 43 para 53 registros.
SANTO ÂNGELO, CAXIAS DO SUL E SANTA ROSA
A região de Santo Ângelo teve o grau de risco aumentado, com todos os indicadores que são específicos para a região de saúde apresentando cor preta: variação semanal de novas hospitalizações, evolução de casos, hospitalizações e óbitos. Soma-se a isso o aumento de 41% de internados confirmados Covid em leitos clínicos, o que levou toda a macrorregião para a bandeira vermelha nesse indicador.
A região de Caxias do Sul novamente retorna à situação de bandeira vermelha, por agravameto de dois indicadores de incidência de novos casos e mudança da capacidade de atendimento.
Já a região de Santa Rosa retorna à bandeira laranja depois de ver agravada a situação em indicadores importantes, como aumento de internos por síndrome respiratória aguda grave, diagnósticos de Covid em leitos de UTI tratamento intensivo. Houve ainda novos casos de contágio e de internações hospitalares.
BANDEIRA VERMELHA
Dentre os ajustes feitos no distanciamento controlado, o governo definiu que as regiões classificadas com cor vermelha não poderão ter regras mais brandas que as estipuladas no Decreto Estadual, nas Portarias da Saúde e nos Protocolos Segmentados. A flexibilização será permitida apenas em situações de bandeiras amarela e laranja. No caso de medidas mais restritivas, os municípios podem adotar independentemente da cor em que estiverem.
PRINCIPAIS DADOS DA RODADA
  • O número de novos registros de hospitalizações SRAG de confirmados por Covid-19 aumentou 19,7% entre as duas últimas semanas (de 512 para 613).
  • O número de internados em UTI por SRAG aumentou 25,4% entre as duas últimas quintas-feiras (de 366 para 459).
  • O número de internados em leitos clínicos com Covid-19 aumentou 31% entre as duas últimas quintas-feiras (de 365 para 478).
  • O número de internados em leitos de UTI com Covid-19 aumentou 24,3% entre as duas últimas quintas-feiras (de 247 para 307).
  • O número de leitos de UTI adulto livres para atender Covid-19 aumentou 6,3% entre as duas últimas quintas-feiras (de 587 para 624).
  • O número de óbitos por Covid-19 aumentou 39,5% entre o cálculo das bandeiras com dados de sexta-feira passada e desta semana, com dados até quinta-feira (de 86 para 120).
  • As regiões com maior número de novos registros de hospitalizações nos últimos sete dias, por local de residência do paciente, são Porto Alegre (204), Caxias do Sul (76), Passo Fundo (53), Novo Hamburgo (71) e Canoas (41).
Comentários