Porto Alegre, sexta-feira, 25 de setembro de 2020.
Dia do Trânsito.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 25 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Ensino Superior

- Publicada em 20h55min, 02/06/2020. Atualizada em 15h53min, 04/06/2020.

Universidades de Porto Alegre optam por manter atividades on-line neste semestre

Ufrgs prorrogou a suspensão das atividades até o dia 30 de junho, por meio de portaria

Ufrgs prorrogou a suspensão das atividades até o dia 30 de junho, por meio de portaria


MARIANA CARLESSO/arquivo/JC
Gabriela Porto Alegre
Com a possibilidade de retomada gradual das atividades no Ensino Superior a partir do dia 15 de junho - anunciado pelo governador Eduardo Leite na semana passada -, algumas universidades da Capital decidiram prorrogar o período de suspensão, enquanto outras optaram por manter as atividades on-line até o final deste semestre, como forma de prevenção ao novo coronavírus.
Com a possibilidade de retomada gradual das atividades no Ensino Superior a partir do dia 15 de junho - anunciado pelo governador Eduardo Leite na semana passada -, algumas universidades da Capital decidiram prorrogar o período de suspensão, enquanto outras optaram por manter as atividades on-line até o final deste semestre, como forma de prevenção ao novo coronavírus.
A Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), por exemplo, prorrogou a suspensão das atividades até o dia 30 de junho. A Portaria nº 3.160 prevê que, em caso de necessidade, haja a possibilidade de uma nova prorrogação. Segundo a universidade, assim que for definida uma data para o retorno, a comunidade universitária será comunicada com antecedência mínima de 15 dias.
No mesmo sentido, a Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) decidiu manter as atividades suspensas por tempo indeterminado. "Desde o início da situação de excepcionalidade, já começaram a ser levantados os critérios para o retorno das atividades", afirmou em nota. Os critérios para a retomada, segundo a UFCSPA, incluem aspectos como o posicionamento das autoridades sanitárias e dos poderes municipal, estadual e federal, a evolução das condições de espaço físico e disponibilidade de equipamentos e pessoal para manter as recomendações de distanciamento e limpeza, além de diretrizes curriculares e outras normativas.
Conforme a assessoria de imprensa, a UFCSPA ainda avalia a possibilidade de ensino remoto, no entanto, não há nada definido sobre o tema. "No momento, as aulas e outras aglomerações continuam suspensas. O ensino remoto está sendo avaliado, mas há três obstáculos principais: 1) proporção muito grande de aulas práticas, já que todos os cursos são relacionados à saúde; 2) grande dificuldade de acesso à internet ou a equipamentos adequados por parte dos estudantes; 3) significativo número de docentes e técnicos envolvidos em ações de enfrentamento da pandemia", ressaltou em nota.
Diferentemente da Ufrgs e da UFCSPA, a Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos) manteve, desde o início do período de isolamento social, atividades a distância. Ainda que o governo estadual preveja uma retomada para o dia 15 de junho para o nível superior, a instituição já afirmou que vai manter as atividades virtuais durante todo esse primeiro semestre. "Para evitar aglomerações e o contágio pelo coronavírus, as atividades de sala de aula se manterão no ambiente virtual até o final do primeiro semestre", reforçou, por nota.
A universidade também trabalha com um plano de contingência a fim de traçar a retomada progressiva e gradual de atividades práticas presenciais, como experimentos em laboratórios para alunos matriculados em disciplinas que envolvem Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC), retiradas de livros pelo serviço de Book Express, atividades práticas essenciais em laboratórios de pesquisa e didáticos e prestação de serviços de Institutos Tecnológicos.
A Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (Pucrs) também vai manter as aulas e a maior parte das atividades e dos serviços na modalidade on-line até o final do semestre. Além disso, em caso de um possível retorno gradual de serviços essenciais e atividades práticas, a universidade já conta com protocolos de prevenção e contenção de riscos relacionados à Covid-19. "Após o anúncio do Governo do Estado em relação às perspectivas para a educação nos próximos meses, a PUCRS optou em manter as aulas e a maior parte das atividades e serviços na modalidade online até o final do semestre. A Universidade pretende retomar de maneira gradual, controlada e progressiva apenas estágios e atividades práticas essenciais de ensino e pesquisa que não podem ser substituídos por atividades remotas", disse em nota. "Por meio dos protocolos de prevenção e contenção de riscos relacionados à Covid-19 da Universidade, está sendo realizada uma análise detalhada junto com às sete Escolas da PUCRS, em um trabalho com a máxima prudência e responsabilidade em relação a todos os protocolos de segurança. A instituição também aguarda os desdobramentos municipais", reforçou.
 
Para garantir segurança e o bem-estar da comunidade, a PUCRS adotou ainda medidas como fornecimento de máscaras e protetores faciais para os profissionais que estão no Campus em atividades essenciais; termômetros a laser para a medição de temperatura no acesso aos prédios; reforço nos protocolos de higienização; ampla sinalização em todos os ambientes, assegurando o limite de ocupação e as medidas de distanciamento obrigatórias e outras orientações importantes de prevenção e segurança; entre outras ações.
 
 
A UniRitter, apesar de não estipular quais adaptações serão adotadas para este semestre, informou que nos próximos dias deve disponibilizar informações à comunidade acadêmica. Desde o início da pandemia, a UniRitter estabeleceu um comitê multidisciplinar de gerenciamento das ações relacionadas ao tema. "Com base na divulgação do plano gradual de retomada, a instituição vem trabalhando nas adaptações do seu calendário para, em breve, comunicar à comunidade acadêmica", reforçou, em nota.
Comentários CORRIGIR TEXTO