Porto Alegre, sábado, 23 de maio de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 23 de maio de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

saúde

Alterada em 23/05 às 19h47min

Nova rodada do distanciamento controlado reduz risco de três regiões gaúchas

Áreas de Uruguaiana, Capão da Canoa e Santa Cruz do Sul tiveram redução de risco para amarelo

Áreas de Uruguaiana, Capão da Canoa e Santa Cruz do Sul tiveram redução de risco para amarelo


MARCO QUINTANA/JC
Carlos Villela, com agências
O governo do Rio Grande do Sul fez, neste sábado (23), a terceira rodada de atualização da classificação das regiões estaduais de acordo com as bandeiras determinadas pelo distanciamento controlado, vigente para a próxima semana, de 25 a 31 de maio (veja o mapa abaixo).
O governo do Rio Grande do Sul fez, neste sábado (23), a terceira rodada de atualização da classificação das regiões estaduais de acordo com as bandeiras determinadas pelo distanciamento controlado, vigente para a próxima semana, de 25 a 31 de maio (veja o mapa abaixo).
A principal mudança é a alteração da bandeira laranja (risco médio) para amarela (risco baixo) em três regiões: Uruguaiana, Capão da Canoa e Santa Cruz do Sul. A partir de segunda-feira (25), serão doze regiões com bandeira laranja e oito com bandeira amarela. Não há regiões com bandeira vermelha (risco alto) ou preta (risco altíssimo - lockdown). 
Esta nova rodada de atualização veio com uma mudança que teve a adoção adiantada pelo governo. Agora, apenas os casos de Covid-19 que geraram hospitalização foram utilizados para medir a propagação do vírus considerando os locais de residência. Antes, o governo estadual usava todos os casos confirmados por testes moleculares (RT-PCR) para medir a velocidade do avanço (que mede o número de novos casos confirmados em relação aos casos anteriores) e a incidência de novos casos na população (que mede os novos casos nos últimos sete dias para cada 100 mil habitantes), dois indicadores dos onze utilizados para elaborar o cálculo de risco.
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/05/23/206x137/1_mapa_rs-9063372.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5ec9a64c9029e', 'cd_midia':9063372, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/05/23/mapa_rs-9063372.jpg', 'ds_midia': 'mapa rs', 'ds_midia_credi': 'REPRODUÇÃO/JC', 'ds_midia_titlo': 'mapa rs', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '577', 'cd_midia_h': '535', 'align': 'Left'}
A região de Uruguaiana teve mudanças em quatro indicadores, do laranja para o amarelo: redução do número de casos confirmados em UTI, redução de óbitos proporcionalmente à sua população e variação no número de leitos de UTI disponíveis para atender Covid-19 na região e no Estado.
A região de Capão da Canoa passou para a bandeira amarela porque a soma do número de casos confirmados internados com síndrome respiratória aguda grave (SRAG) nos últimos 14 dias foi menor ou igual a cinco, e registrou uma redução de óbitos proporcional à sua população e variação do número de leitos de UTI disponíveis.
Já a região de Santa Cruz do Sul teve risco reduzido por conta da redução do número de internados por SRAG, melhora na relação de casos ativos/recuperados, aumento no número de leitos disponíveis para pessoas com mais de 60 anos e melhora o número de leitos de UTI na região e leitos de UTI no Estado.
No Rio Grande do Sul como um todo, a terceira rodada do modelo de distanciamento controlado apresentou os seguintes resultados nas últimas duas semanas:
  • O número de internados em UTI por SRAG aumentou 7,56% no Estado entre as duas últimas sextas-feiras (225 para 242);
  • O número de internados em leitos clínicos com Covid-19 no RS aumentou 18,50% entre as duas últimas sextas-feiras (173 para 205);
  • O número de internados em leitos de UTI com Covid-19 no RS reduziu 3,10% entre as duas últimas sextas-feiras (129 para 125);
  • O número de leitos de UTI adulto disponíveis para atender Covid-19 no RS aumentou 6,85% entre as duas últimas sextas-feiras (de 467 para 499);
  • O número de óbitos por Covid-19 aumentou 13,3% entre as duas últimas semanas (de 30 para 34).
O distanciamento controlado, que está em vigor desde o dia 10 de maio no Rio Grande do Sul, trabalha com uma divisão do Estado em 20 regiões e 105 atividades econômicas mapeadas. A partir de um cálculo que considera onze indicadores divididos em dois grupos, propagação do vírus e capacidade de atendimento de saúde, se determina a aplicação de protocolos de procedimentos e restrições para cada segmento, de acordo com o risco calculado para cada região. O monitoramento dos indicadores de risco é semanal, e a divulgação das bandeiras ocorre aos sábados, com validade a partir da semana seguinte.

Cronologia do distanciamento controlado

Semana de 11 a 17 de maio
O primeiro mapa oficial do Distanciamento Controlado foi divulgado em 9 de maio. As regras daquele mapa foram válidas para vigorar entre 11 e 17 de maio. Naquela semana, somente a região de Lajeado se encaixava na descrição de bandeira vermelha. A região de Passo Fundo recebeu um reforço de 10 leitos, aumentando a capacidade de resposta hospitalar, ao mesmo tempo em que a velocidade de avanço da doença se estabilizou.
Na bandeira laranja, encaixavam-se as regiões de Canoas, Capão da Canoa, Caxias do Sul, Cruz Alta, Erechim, Novo Hamburgo, Palmeira das Missões, Passo Fundo, Pelotas, Porto Alegre, Santa Cruz do Sul, Santa Maria e Santo Ângelo.
As regiões de Bagé, Cachoeira do Sul, Ijuí, Santa Rosa, Taquara e Uruguaiana se encontravam em situação menos grave e se encaixam na bandeira amarela.
Semana de 18 a 24 de maio
O segundo mapa oficial do Distanciamento Controlado foi divulgado em 16 de maio. As regras deste mapa ficam valendo de 18 a 24 de maio. Não há regiões classificadas com bandeira vermelha, e o mapa apresentou predominância de regiões em bandeira laranja.
A região de Lajeado, que estava na bandeira vermelha, passou para a laranja. A região de Uruguaiana, que se encontrava na amarela, passou para laranja, devido ao acréscimo de cinco casos confirmados nas últimas duas semanas.
Estão na bandeira laranja as regiões de Canoas, Capão da Canoa, Caxias do Sul, Cruz Alta, Erechim, Lajeado, Novo Hamburgo, Palmeira das Missões, Passo Fundo, Pelotas, Porto Alegre, Santa Maria, Santo Ângelo, Santa Cruz do Sul e Uruguaiana.
As regiões de Bagé, Cachoeira do Sul, Ijuí, Santa Rosa e Taquara se encontram em situação menos grave e se encaixam na bandeira amarela.
Semana de 25 a 31 de maio
O terceiro mapa do Distanciamento Controlado foi divulgado em 23 de maio. As regras deste mapa serão válidas de 25 até 31 de maio. Nesta semana, não haverá regiões classificadas como bandeira vermelha ou preta, e o mapa apresenta predominância de regiões em bandeira laranja.
São 12 regiões com risco médio (laranja): Santa Maria, Novo Hamburgo, Canoas, Porto Alegre, Santo Ângelo, Cruz Alta, Palmeira das Missões, Erechim, Passo Fundo, Pelotas, Caxias do Sul e Lajeado
As regiões de Uruguaiana, Capão da Canoa e Santa Cruz do Sul, que tinham bandeira laranja na versão anterior, passaram para amarela, portanto, o Estado passar a ter oito regiões com risco baixo.
Assim, estão na bandeira amarela: Uruguaiana, Capão da Canoa, Taquara, Ijuí, Santa Rosa, Bagé, Cachoeira do Sul e Santa Cruz do Sul.
Comentários