Porto Alegre, sábado, 17 de outubro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 17 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Olimpíadas

- Publicada em 10h03min, 30/03/2020. Atualizada em 10h04min, 30/03/2020.

COI define data das Olimpíadas de Tóquio em 2021

Decisão foi comunicada nesta segunda pelo órgão

Decisão foi comunicada nesta segunda pelo órgão


FABRICE COFFRINI/AFP/JC
Seis dias depois do anúncio oficial do adiamento por conta da pandemia do novo coronavírus, os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio já têm nova data. Nesta segunda-feira (30), o Comitê Olímpico Internacional (COI) anunciou que a Olimpíada será disputada entre os dias 23 de julho e 8 de agosto de 2021, no mesmo período que seria realizada neste ano (24 de julho a 9 de agosto). O mesmo vale para a Paralimpíada, que começará em 24 de agosto e irá até 5 de setembro.
Seis dias depois do anúncio oficial do adiamento por conta da pandemia do novo coronavírus, os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio já têm nova data. Nesta segunda-feira (30), o Comitê Olímpico Internacional (COI) anunciou que a Olimpíada será disputada entre os dias 23 de julho e 8 de agosto de 2021, no mesmo período que seria realizada neste ano (24 de julho a 9 de agosto). O mesmo vale para a Paralimpíada, que começará em 24 de agosto e irá até 5 de setembro.
{'nm_midia_inter_thumb1':'', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5c6f03d777ac4', 'cd_midia':8634598, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/gif/2019/02/21/banner_whatsapp_280x50px_branco-8634598.gif', 'ds_midia': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'ds_midia_credi': 'Thiago Machado / Arte JC', 'ds_midia_titlo': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '280', 'cd_midia_h': '50', 'align': 'Center'}
A decisão do novo calendário foi tomada após estudos e negociações entre o presidente do COI, o alemão Thomas Bach, e dirigentes das federações esportivas e de comitês nacionais. A nova data cumpre a promessa da entidade de que os Jogos de Tóquio-2020 seriam realizados até o verão de 2021 no hemisfério norte.
"Quero agradecer às Federações Internacionais pelo apoio unânime e às Associações Continentais dos Comitês Olímpicos Nacionais pela grande parceria e pelo apoio no processo de consulta nos últimos dias. Também gostaria de agradecer à Comissão de Atletas do COI, com quem mantemos contato constante. Com este anúncio, estou confiante de que, trabalhando em conjunto com o Comitê Organizador de Tóquio-2020, o Governo Metropolitano de Tóquio, o Governo Japonês e todas as nossas partes interessadas, podemos superar esse desafio sem precedentes. Atualmente, a humanidade se encontra em um túnel escuro. Estes Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 podem ser uma luz no fim deste túnel", disse Bach, em comunicado oficial.
Nesta segunda-feira em Tóquio, membros do Comitê Executivo do COI e do Comitê Organizador realizaram o primeiro encontro desde que os Jogos Olímpicos foram adiados na terça passada. Em uma primeira entrevista com os jornalistas após a reunião, as novas datas não foram confirmadas. Pouco tempo depois, porém, uma nova coletiva foi convocada às pressas para comunicar o anúncio oficial.
"O calendário dos Jogos é a chave para a preparação dos atletas. Isso vai acelerar o nosso progresso", disse Yoshiro Mori, presidente do Comitê Organizador, na entrevista coletiva desta segunda-feira. "Nós queríamos ter mais espaço (datas) para a qualificação dos atletas".
Os Jogos de Tóquio-2020, que continuará com o mesmo nome, foram oficialmente adiados na última terça-feira por causa da pandemia do covid-19. A decisão foi tomada após uma teleconferência entre Bach e Shinzo Abe, primeiro ministro do Japão, para resguardar a segurança de atletas, técnicos e de todos que participariam diretamente ou indiretamente das competições.
O orçamento dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos terá de ser revisto. O contrato com algumas das sedes esportivas também passará por uma renegociação. Há ainda a preocupação sobre como ficará a questão dos ingressos e devolução de dinheiro para quem não quiser mais ir a Tóquio em 2021.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO