Porto Alegre, quinta-feira, 26 de março de 2020.
Aniversário de Porto Alegre. Dia do Cacau.

Jornal do Comércio

Porto Alegre, quinta-feira, 26 de março de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Itália

Notícia da edição impressa de 26/03/2020. Alterada em 25/03 às 21h13min

Itália tem 743 mortes por coronavírus em 24 horas; infectados são 74 mil

Itália adotou novas medidas para restringir a circulação de pessoas, como multas de até ¤ 4 mil

Itália adotou novas medidas para restringir a circulação de pessoas, como multas de até ¤ 4 mil


ANDREAS SOLARO/AFP/JC
O número de mortes na Itália em decorrência da Covid-19 cresceu em 743 nas 24 horas entre segunda (23) e terça-feira (24), um novo aumento depois de dois dias seguidos de redução nos números. Nesta quarta-feira (25) já eram 7.503 as vítimas fatais da doença causada pelo novo coronavírus.
O número de mortes na Itália em decorrência da Covid-19 cresceu em 743 nas 24 horas entre segunda (23) e terça-feira (24), um novo aumento depois de dois dias seguidos de redução nos números. Nesta quarta-feira (25) já eram 7.503 as vítimas fatais da doença causada pelo novo coronavírus.
O número de novas infecções cresceu em 3.612 de terça para quarta-feira, fazendo o total de pessoas infectadas pelo coronavírus chegar a 74.386 na Itália. O número de pessoas infectadas atualmente, dado que exclui curados e mortos, é de 57.521 pessoas.
Também ontem, o governo da Itália aprovou medidas mais duras para restringir a circulação de pessoas. De acordo com a agência de notícias italiana Ansa, entre as medidas estão multas de até € 4 mil e o confisco de veículos.
Segundo o estudo "Taxa de letalidade e características dos pacientes que morrem com Covid-19 na Itália", publicado no Jornal da Associação Médica Americana em 23 de março, as características demográficas da população italiana diferem de outros países.
Em 2019, aproximadamente 23% da população italiana tinha 65 anos ou mais. E a Covid-19 é mais letal em pacientes mais velhos, o que pode explicar, em parte, a maior taxa de mortalidade por casos da Itália em comparação com a de outros países.
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/03/25/206x137/1_arte_internacional_letalidade_corona-9022948.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5e7bddb911bd4', 'cd_midia':9022948, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/03/25/arte_internacional_letalidade_corona-9022948.jpg', 'ds_midia': 'Taxa de letalidade Coronavírus Itália-China', 'ds_midia_credi': 'ARTE JULIANO BRUNI/JC', 'ds_midia_titlo': 'Taxa de letalidade Coronavírus Itália-China', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '494', 'align': 'Left'}
Já um estudo internacional divulgado ontem na Science, assinado por cientistas de alguns dos principais centros de pesquisa do mundo - Universidade de Oxford, no Reino Unido; Universidade de Harvard, nos EUA; e Instituto Pasteur, na França -, mostra que as drásticas medidas de controle implementadas na China reduziram substancialmente a disseminação da Covid-19.
Os autores enfatizaram que as medidas de distanciamento social funcionam, mas é necessário esperar algum tempo para que os seus efeitos positivos sejam notados. Entre as ações adotadas pela China estão a quarentena de cidades inteiras, o fechamento de serviços não essenciais e a restrição nas viagens aéreas. O estudo foi feito com dados de plataformas móveis, obtidos em tempo real, na cidade de Wuhan, epicentro da epidemia que começou em dezembro.
No país asiático, o total de pessoas infectadas chegou, ontem, a 81.661, com 73.773 recuperados e 3.285 mortes.