Porto Alegre, segunda-feira, 23 de março de 2020.
Dia Mundial do Meteorologista.

Jornal do Comércio

Porto Alegre, segunda-feira, 23 de março de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

SAÚDE

23/03/2020 - 16h23min. Alterada em 23/03 às 23h31min

Idosos devem respeitar isolamento, mas preservar contato com amigos e familiares

Principal grupo de risco, anciãos devem manter contato virtual, telefônico e atividades em casa

Principal grupo de risco, anciãos devem manter contato virtual, telefônico e atividades em casa


FREEPIK.COM/DIVULGAÇÃO/CIDADES
Fernanda Crancio
Mais vulneráveis à pandemia do novo coronavírus e relutantes ao isolamento social, os idosos integram o principal grupo de risco da covid-19 e devem estar atentos às orientações para permanecerem em casa e evitarem contato físico. Estudos da pandemia apontam que cinco a cada 100 pessoas infectadas têm mais chance de morte acima dos 60 anos de idade e esse índice só aumenta entre os mais velhos.
Mais vulneráveis à pandemia do novo coronavírus e relutantes ao isolamento social, os idosos integram o principal grupo de risco da covid-19 e devem estar atentos às orientações para permanecerem em casa e evitarem contato físico. Estudos da pandemia apontam que cinco a cada 100 pessoas infectadas têm mais chance de morte acima dos 60 anos de idade e esse índice só aumenta entre os mais velhos.
Acima dos 80 anos são de 15 a 20 doentes de cada cem com mais risco de morte pelo coronavírus e 20 de cada cem pacientes com chance de morte acima dos 90 anos. Segundo o médico Emilio Moriguchi, chefe do serviço de Medicina Interna do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), a palavra de ordem para esse público é conscientização. "Os idosos devem estar conscientes de que realmente têm mais risco de morte pelo coronavírus. Isso é muito grave e a mortandade aumenta significativamente após os 60 anos", alerta.
{'nm_midia_inter_thumb1':'', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5c6f03d777ac4', 'cd_midia':8634598, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/gif/2019/02/21/banner_whatsapp_280x50px_branco-8634598.gif', 'ds_midia': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'ds_midia_credi': 'Thiago Machado / Arte JC', 'ds_midia_titlo': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '280', 'cd_midia_h': '50', 'align': 'Center'}
Moriguchi enfatiza que esse risco ainda é potencializado se não for controlado o contato com os mais jovens, pois muitos deles terão a doença sem sintomas e irão colaborar para disseminá-la, principalmente entre os idosos. Nesse sentido, o médico elogia a decisão da prefeitura de Porto Alegre de restringir o deslocamento de idosos, a partir desta segunda-feira (23), permitindo que circulem às ruas apenas em casos estritamente necessários. "Dou razão à decisão, no final de semana vi muitos idosos caminhando nas ruas e isso é extremamente perigoso", destaca.
Para convencer esse público é preciso apostar no diálogo, explicar sobre a doença e fazê-los entender a importância do isolamento, da alimentação saudável, de uma boa hidratação e da movimentação dentro de casa. "Esse público deve manter a funcionalidade do corpo, evitar ficar deitado ou sentado por muito tempo e manter o menor contato possível com a rua, evitando qualquer tipo de fila ou aglomeração. Se sair para se vacinar contra a gripe e encontrar fila, por exemplo, volte para casa e tente em outra oportunidade", ressalta o especialista.
Moriguchi aponta ainda a necessidade de os idosos manterem contato com grupos de amigos e familiares por telefone e virtualmente, para que sintam-se seguros. Visitas devem ser evitadas, mas netos e filhos podem dar uma assistência eventual a esse grupo, levando remédios ou compras, sempre de forma rápida e sem contato físico. "Para todos nós é difícil mudar hábitos, para os idosos mais ainda. Então, devem seguir se relacionando virtualmente, comendo o que gostam e se mantendo ativos para evitar outras doenças",complementa o médico.  

Como os idosos devem agir e se proteger:

  • Manter o isolamento social ao máximo e evitar sair de casa. No caso de não ter outra alternativa para compras em supermercados e farmácias, evitar permanecer em filas;
  • Buscar serviços de entrega em casa (mercados, fruteiras, farmácias, alguns supermercados);   
  • Se receberem visitas de familiares para entrega de alimentos e remédios, permanecer afastados e sem contato físico (abraços, aperto de mão e beijos estão proibidos)
  • Procurar manter contato virtual ou por telefone diariamente com amigos e familiares;
  • Hidratar-se e manter alimentação saudável, mas não se privar do que gosta;
  • Tentar estabelecer uma rotina de "exercício" em casa para manter a funcionalidade do corpo: caminhar pela casa ou pátio e não evitar longos períodos sentado ou deitado;
  • Entreter-se com televisão, filmes, livros, palavras cruzadas;
  • Manter pensamentos positivos, apesar do momento difícil, para evitar outras doenças.