Porto Alegre, segunda-feira, 15 de julho de 2019.
Dia Nacional dos Clubes.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Cooperativismo 2019

COMENTAR | CORRIGIR

TRANSPORTE

Notícia da edição impressa de 12/07/2019. Alterada em 12/07 às 09h29min

Fomento à economia regional como forma de impulsionar o desenvolvimento

Cotraibi surgiu em 2005, na Região Norte, e tem cerca de 300 associados

Cotraibi surgiu em 2005, na Região Norte, e tem cerca de 300 associados


/COTRAIBI/DIVULGAÇÃO/JC
Anelise Cáceres
Com o objetivo de suprir as necessidades locais do transporte rodoviário de cargas, a Cooperativa dos Transportadores de Ibiraiaras (Cotraibi) foi formada em 2005. Com foco na região Norte, conta com infraestrutura no Rio Grande do Sul e também no Espírito Santo, e cerca de 300 associados no Estado. O bom momento e crescimento das cooperativas nos últimos anos também impulsiona o ramo de transporte, segundo o presidente da Cotraibi, Roberto Bresolin.
Contudo, ele também relata algumas dificuldades enfrentadas diante do cenário econômico atual no setor, especialmente com relação à tabela de frete aos transportadores. "Temos um cenário em que a tabela de frete está defasada, aliada ao alto custo do óleo diesel e aos valores cobrados em pedágios, os transportadores sofrem esse impacto no dia a dia", disse.
Por outro lado, conforme o presidente da Cotraibi, mesmo não se concretizando as expectativas na economia nacional para o primeiro semestre, o sistema cooperativista de transporte continua em ascensão, atuando sobretudo em ações de intercooperação com outros ramos no Estado. "Acreditamos em um melhor cenário nos próximos meses na balança comercial do País e também na reavaliação das políticas públicas para o setor", destaca.
Bresolin defende o modelo socioeconômico cooperativista e destaca a importância da intercooperação. "Ser cooperativista é acreditar que só é possível ter um mundo justo e equilibrado quando desenvolvimento econômico e social andam de mãos dadas. Para isso, trabalhamos juntos. Acreditamos que a intercooperação é o caminho para impulsionar o crescimento do nosso Estado."
Nesse sentido, também, o presidente da Cooperativa de Transportes do Vale do Taquari (Vale Log), Adelar Steffler, reforça as ações intercooperativas através da Rede de Transporte. "Através da Central das Cooperativas de Transporte de Cargas e Passageiros, 15 cooperativas atuam em conjunto nas questões de seguro, compras de pneus, óleo diesel, entre outros, reduzindo custos aos associados."
Há 11 anos, 24 motoristas na cidade de Arroio do Meio buscavam uma forma de gastar menos em combustível e manutenção, e ganhar mais pelos fretes que faziam. Acreditaram que uma cooperativa seria a forma justa de organização, eliminando os agenciadores e trazendo uma gestão mais transparente para o negócio próprio. Foi então que fundaram a Vale Log. Atualmente, é considerada a maior cooperativa do Estado e a quinta maior do País, com 199 sócios e 264 caminhões, responsáveis pelo transporte de cereais, fertilizantes e sementes.
"Diminuímos o número de caminhões, mas adquirimos novos modelos rodotrem, que comportam até 50 toneladas, o que também ajuda a reduzir custos nos fretes", informa.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia