Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 20 de maio de 2022.
Porto Alegre,
sexta-feira, 20 de maio de 2022.

Editorial

Compartilhar

Editorial

- Publicada em 03h00min, 20/05/2022.

As exportações do agronegócio do Rio Grande do Sul

O agronegócio gaúcho exportou US$ 4,5 bilhões no primeiro quadrimestre de 2022. O resultado representa um aumento de 29% na comparação com o mesmo período do ano passado. Em abril, o setor comercializou US$ 1,09 bilhão, 65% do total exportado pelo Rio Grande do Sul. Em volume foi 1,3 milhão de toneladas. Os dados foram divulgados pela Farsul.
O agronegócio gaúcho exportou US$ 4,5 bilhões no primeiro quadrimestre de 2022. O resultado representa um aumento de 29% na comparação com o mesmo período do ano passado. Em abril, o setor comercializou US$ 1,09 bilhão, 65% do total exportado pelo Rio Grande do Sul. Em volume foi 1,3 milhão de toneladas. Os dados foram divulgados pela Farsul.
No mês passsado, houve uma queda de 5% no valor exportado pelo agronegócio gaúcho na comparação com o mesmo período de 2021. Na relação entre março e abril deste ano, a retração foi de 5% no valor e 22% no volume exportado.
Já as importações passaram de US$ 104 milhões em abril de 2021 para US$ 397 milhões em abril de 2022. O volume passou de 316 mil toneladas para mil toneladas de fertilizantes importados no período. Isso representa um aumento de 282% no valor e de 66% no volume importado. Já em relação a março de 2022, houve um aumento de 106% no valor e de 81% no volume.
As exportações para a Ásia (sem Oriente Médio) totalizaram US$ 502 milhões e 598 mil toneladas. A Europa atingiu US$ 219 milhões, sendo US$ 193 milhões para a União Europeia. Em seguida vem a África com US$ 124 milhões, Oriente Médio com US$ 94 milhões, América do Norte com US$ 79 milhões, América do Sul com US$ 63 milhões, sendo US$ 35 milhões para o Mercosul, América Central e Caribe com US$ 12 milhões e, por fim, a Oceania com US$ 2 milhões.
Quanto aos países, a China aparece em primeiro lugar com US$ 234 milhões e participação de 21% no valor. Em segundo lugar Estados Unidos com 5,9%, seguido de Vietnã com 5,2%, Índia com 4,8% e Espanha com 4,2%.
Com todos os problemas causados pela estiagem que assolou o Rio Grande do Sul durante quase todo o ano passado, ainda assim coube ao agronegócio puxar a economia, aliviando a carga negativa que pairou - e ainda acontece assim - sobre a indústria, comércio e serviços em geral. A vida econômica ainda não está totalmente normalizada por diversas sequelas sociais, financeiras e econômicas que impactaram a economia gaúcha, de resto como também a nacional. Porém, aos poucos tudo voltará ao normal, apesar dos sustos causados pela dengue, problema que atinge diversas cidades do Estado.
Problemas com relação ao clima estão se tornando rotineiros, porém, a agricultura e a pecuária gaúchas têm respondido com acerto, ano após ano. Importante é que as cadeias de produção continuam firmes e abastecendo os mercados, apesar das reclamações - com razão - a respeito da inflação pressionando os preços.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO