Porto Alegre, segunda-feira, 23 de maio de 2022.
Porto Alegre,
segunda-feira, 23 de maio de 2022.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Sistema financeiro

- Publicada em 23/05/2022 às 15h40min.

Rebranding do Banrisul apresenta logomarca mais moderna

Além do azul tradicional, o roxo e um verde claro também compõem nova identidade do banco

Além do azul tradicional, o roxo e um verde claro também compõem nova identidade do banco


mauricio lima/divulgação/jc
Diego Nuñez
Mirando o futuro, o Banrisul renovou sua marca. Com um design mais moderno, minimalista, colorido e totalmente em caixa baixa, o Banco do Estado do Rio Grande do Sul agrega à marca os novos valores da empresa, como tecnologia, dinamismo, sustentabilidade e diversidade.
Mirando o futuro, o Banrisul renovou sua marca. Com um design mais moderno, minimalista, colorido e totalmente em caixa baixa, o Banco do Estado do Rio Grande do Sul agrega à marca os novos valores da empresa, como tecnologia, dinamismo, sustentabilidade e diversidade.
“Nossa conexão transforma”, é o novo slogan do Banrisul, que agora também ganha novas cores. Além do azul tradicional, o roxo e um verde claro também compõem a identidade do banco.
“O rebranding (renovação de identidade) se faz necessário porque a marca atual comunica apenas parte do que é o Banrisul. Transmite solidez, mas não trazia conceitos que o Banrisul hoje agregou à sua atividade, como a sustentabilidade e a tecnologia. Era muito importante que a gente comunicasse, através de uma nova marca, o que a gente se tornou”, afirmou o presidente do banco, Cláudio Coutinho, durante evento de lançamento do novo visual, no Espaço BanriTech, no Centro de Porto Alegre.
Ele afirma que o objetivo da mudança visual, além de refletir modernizações que já ocorrem no banco, visa aproximar o Banrisul das pessoas. A empresa conta hoje com 4 milhões de clientes e possui cerca de 500 agências. Alcançou, no primeiro trimestre deste ano, um saldo de R$ 42,4 bilhões em crédito e, no mesmo período, investiu R$ 57,3 milhões em inovações, melhorias de experiência do usuário, segurança de informação e modernização tecnológica.
“Não acreditamos em um modelo 100% digital e nem num modelo 100% presencial. Temos um modelo híbrido, com atendimento pessoal, personalizado e temos todos os canais digitais funcionando com um serviço de primeira linha”, disse Coutinho.
Em abril, o Banrisul registrou o pico de uso do Pix para transferências bancárias, tendo processado, em um único dia, 900 mil transações através da ferramenta.
“Muitos acham que o Banrisul é o banco do Estado e por isso ele não se moderniza. Não. É o contrário. Estamos à frente da modernização e da tecnologia. É importante que a marca transmitisse isso”, declarou o presidente.
Coutinho também comentou que transmitir valores como sustentabilidade e diversidade facilita a atração de investimento para o banco: “sem a menor dúvida, agregar conceitos de sustentabilidade e explicitar a questão social é muito importante para investidores”. Atualmente, o Banrisul mira a expansão nacional, com pilotos em Santa Catarina principalmente através da máquina de cartões Vero - um processo ainda embrionário, segundo as palavras do próprio presidente da empresa.
Questionado sobre uma possível privatização deste banco de economia mista, Coutinho afirmou que a gestão busca conduzir o Banrisul da melhor forma e entregar resultado. “É um tema que pertence ao governo, à Assembleia (Legislativa), não é um tema a alcance da gestão do banco”, afirmou o presidente.
Conteúdo Publicitário
Comentários CORRIGIR TEXTO
Leia também