Porto Alegre, sexta-feira, 20 de maio de 2022.
Porto Alegre,
sexta-feira, 20 de maio de 2022.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Mercado Financeiro

- Publicada em 20/05/2022 às 14h57min.

Bolsas da Europa fecham em alta, com recuperação e após China cortar juros

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,73%, em 431,10 pontos. Na comparação semanal, ele recuou 0,55%

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,73%, em 431,10 pontos. Na comparação semanal, ele recuou 0,55%


NELSON ALMEIDA/AFP/JC
Os mercados acionários da Europa fecharam com sinal positivo, nesta sexta-feira (20). O fato de que o Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês) cortou juros para estimular a economia da potência asiática agradou investidores, abrindo espaço para uma recuperação após perdas recentes no continente. Houve, porém, um dado fraco da zona do euro, com a confiança do consumidor melhorando um pouco na preliminar de maio, mas ainda em nível bastante negativo.
Os mercados acionários da Europa fecharam com sinal positivo, nesta sexta-feira (20). O fato de que o Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês) cortou juros para estimular a economia da potência asiática agradou investidores, abrindo espaço para uma recuperação após perdas recentes no continente. Houve, porém, um dado fraco da zona do euro, com a confiança do consumidor melhorando um pouco na preliminar de maio, mas ainda em nível bastante negativo.
O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,73%, em 431,10 pontos. Na comparação semanal, ele recuou 0,55%.
O PBoC decidiu reduzir sua taxa de juros de referência para empréstimos de longo prazo. A chamada LRP de cinco anos foi de 4,60% a 4,45%. Isso apoiou as bolsas europeias desde o início do dia, já que melhores perspectivas para a economia da China são benéficas para países exportadores da região, por exemplo.
Além disso, o dia foi de recuperação após perdas recentes, com temores como a inflação persistentemente alta e a guerra na Ucrânia e seus efeitos. Entre os dirigentes do Banco Central Europeu (BCE), continuavam a haver declarações sinalizando alta de juros em breve, provavelmente em julho, entre elas do membro do conselho do BCE e presidente do Bundesbank, Joachim Nagel.
Na agenda de indicadores, as vendas no varejo do Reino Unido cresceram 1,4% em abril ante março, o que contrariou a previsão de queda de 0,3% dos analistas.
Na Alemanha, o índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) subiu 33,5% em abril, na comparação anual, em nível recorde. Já a confiança do consumidor da zona do euro avançou de -22,0 em abril a -21,1 na preliminar de maio, ante previsão de -21,5 dos analistas.
A Capital Economics avaliou que o dado da zona do euro continua a mostrar fraqueza no consumo e a consultoria acredita que haverá contração econômica no segundo trimestre na região da moeda comum. O dado divulgado mais para o fim do pregão local, porém, não impediu os ganhos no dia nesta sexta-feira.
Na Bolsa de Londres, o índice FTSE 100 fechou em alta de 1,19%, em 7.389,98 pontos. Na comparação semanal, ele caiu 0,38%.
O índice DAX, da Bolsa de Frankfurt, registrou ganho de 0,72%, a 13.981,91 pontos, com baixa de 0,33% na semana.
Em Paris, o índice CAC 40 avançou 0,20%, a 6.285,24 pontos. Na semana, porém, o índice francês recuou 1,22%.
Na Bolsa de Milão, o índice FTSE MIB fechou em alta de 0,12%, em 24.095,00 pontos, com ganho de 0,19% na semana.
Em Madri, o índice Ibex subiu 0,93%, a 8.484,50 pontos. Na semana, ele avançou 1,76%.
Na Bolsa de Lisboa, o PSI 20 fechou em alta de 0,28%, em 5.921,16 pontos. Na comparação semanal, o índice teve ganho de 3,79%.
Agência Estado
Conteúdo Publicitário
Comentários CORRIGIR TEXTO
Leia também