Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Economia

- Publicada em 04 de Maio de 2022 às 15:23

Por falta de semicondutores, Volkswagen dá férias coletivas

Apesar da demanda de produção, escassez de peças inviabiliza o atendimento

Apesar da demanda de produção, escassez de peças inviabiliza o atendimento


Fabiano Guma/Divulgação/JC
A partir do dia 9 de maio, os funcionários da Volkswagen do Brasil terão 20 dias de férias coletivas para os dois turnos da fábrica de São Bernardo do Campo, na região metropolitana de São Paulo, devido à falta de semicondutores. Apesar de a montadora não informar o número de funcionários envolvidos, o Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo, diz que serão cerca de 2,5 mil trabalhadores. Atualmente a fábrica produz cerca de 800 veículos por dia.
A partir do dia 9 de maio, os funcionários da Volkswagen do Brasil terão 20 dias de férias coletivas para os dois turnos da fábrica de São Bernardo do Campo, na região metropolitana de São Paulo, devido à falta de semicondutores. Apesar de a montadora não informar o número de funcionários envolvidos, o Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo, diz que serão cerca de 2,5 mil trabalhadores. Atualmente a fábrica produz cerca de 800 veículos por dia.
O coordenador-geral da representação do sindicato na Volks, José Roberto Nogueira da Silva, o Bigodinho, destacou o acordo firmado entre o sindicato e a direção da fábrica que garante previsibilidade em situações de crise.
"Estamos usando todas as ferramentas de flexibilidade discutidas no acordo firmado pelo sindicato. Esse acordo abrange momentos bons e ruins para atravessar crises como essa. O acordo dá previsibilidade tanto para a fábrica como para os trabalhadores e certa tranquilidade para atravessar momentos como este", afirmou Bigodinho.
Ele reforçou ainda que a situação é semelhante ao que está acontecendo em outras fábricas e que há demanda de produção, mas a escassez de peças inviabiliza o atendimento. "Estamos na expectativa da retomada o mais breve possível", concluiu.
Em março e abril, a Mercedes-Benz também colocou trabalhadores da fábrica de São Bernardo do Campo (SP) em férias coletivas, devido à falta de componentes eletrônicos. Os funcionários ficaram fora da montadora de 14 a 25 de março e de 18 de abril a 3 de maio. O sindicato informou que em março 1,2 mil trabalhadores foram afetados pela medida e em abril, 5 mil.
Conteúdo Publicitário
Leia também
Comentários CORRIGIR TEXTO