Porto Alegre, segunda-feira, 13 de setembro de 2021.
Porto Alegre,
segunda-feira, 13 de setembro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Mercado Financeiro

- Publicada em 13h45min, 13/09/2021. Atualizada em 13h57min, 13/09/2021.

Bolsas da Europa fecham em alta com exterior ameno, BCE e impulso de petroleiras

O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o dia com ganho de 0,29%, a 467,69 pontos

O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o dia com ganho de 0,29%, a 467,69 pontos


/DIVULGAÇÃO/JC
As bolsas da Europa fecharam em alta nesta segunda-feira (13) em meio a um ambiente ameno no exterior, apesar de ainda persistirem preocupações com o impacto da variante delta da Covid-19 no crescimento econômico global. Investidores também continuaram a digerir a decisão de política monetária do Banco Central Europeu (BCE), que foi divulgada na semana passada. Uma alta do petróleo também ajudou a impulsionar empresas do setor energético. Nesse cenário, o índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o dia com ganho de 0,29%, a 467,69 pontos.
As bolsas da Europa fecharam em alta nesta segunda-feira (13) em meio a um ambiente ameno no exterior, apesar de ainda persistirem preocupações com o impacto da variante delta da Covid-19 no crescimento econômico global. Investidores também continuaram a digerir a decisão de política monetária do Banco Central Europeu (BCE), que foi divulgada na semana passada. Uma alta do petróleo também ajudou a impulsionar empresas do setor energético. Nesse cenário, o índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o dia com ganho de 0,29%, a 467,69 pontos.
Em Londres, o FTSE 100 teve alta de 0,56%, a 7.068,43 pontos. As ações da petroleira BP subiram 2,25% e as da Royal Dutch Shell, 2,23%.
"Os mercados europeus tiveram um início de semana positivo, com o setor de energia ajudando a empurrar o FTSE100 de volta para o nível de 7.100 em determinado momento do pregão", afirma o analista-chefe de mercados da CMC, Michael Hewson.
O petróleo acelerou os ganhos nesta segunda-feira depois que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) previu, em seu relatório mensal de mercado, que a demanda pela commodity superará aos níveis pré-pandemia no próximo ano.
Em Nova York, os principais índices acionários também ensaiaram na abertura uma recuperação das perdas da semana passada, o que reforçou o tom positivo dos ativos europeus. No entanto, as bolsas americanas logo ficaram mistas.
Durante a sessão, os investidores também continuaram a digerir a decisão do BCE de passar a realizar as compras emergenciais de ativos em um ritmo "moderadamente menor".
Segundo o analista Joe Manimbo, da Western Union, a medida foi considerada pelo mercado menos hawkish do que o esperado. Como o Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) mostrou, de forma geral os economistas não consideram que o BCE fará um tapering e alguns até esperam novos estímulos em dezembro.
O índice DAX, da Bolsa de Frankfurt, avançou 0,59%, a 15.701,42 pontos.
Em Paris, o índice CAC 40 subiu 0,20%, a 6.676,93 pontos.
O FTSE MIB, de Milão, por sua vez, ganhou 0,93%, a 25.925,73 pontos.
Nas praças ibéricas, o índice PSI 20, de Lisboa, registrou ganho de 1,79%, a 5.401,67 pontos, e o Ibex 35, de Madri, avançou 1,39%, a 8.816,10 pontos.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário