Porto Alegre, quarta-feira, 18 de agosto de 2021.
Dia do Estagiário.
Porto Alegre,
quarta-feira, 18 de agosto de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

BANCOS

- Publicada em 17h52min, 18/08/2021.

Venda de ações da Banrisul Cartões busca garantir saúde financeira e competitividade nacional

Coutinho não detalhou negociações, iniciadas em julho, para não prejudicar o processo

Coutinho não detalhou negociações, iniciadas em julho, para não prejudicar o processo


REPRODUÇÃO/JC
Fernanda Crancio
A convite da Assembleia Legislativa, o presidente do Banrisul, Cláudio Coutinho, explicou a um grupo de parlamentares o movimento em busca de investidores para capitalizar a Banrisul Cartões, da bandeira Vero, e avançar nacionalmente em competitividade, conforme anunciado em julho, por meio de comunicação de fato relevante. Em reunião híbrida na tarde desta quarta-feira (18), o dirigente destacou, no entanto, que há uma negociação em curso, mas que não pode ser detalhada por estratégia de mercado.
A convite da Assembleia Legislativa, o presidente do Banrisul, Cláudio Coutinho, explicou a um grupo de parlamentares o movimento em busca de investidores para capitalizar a Banrisul Cartões, da bandeira Vero, e avançar nacionalmente em competitividade, conforme anunciado em julho, por meio de comunicação de fato relevante. Em reunião híbrida na tarde desta quarta-feira (18), o dirigente destacou, no entanto, que há uma negociação em curso, mas que não pode ser detalhada por estratégia de mercado.
"É uma evolução negocial que, se revelada, pode prejudicar toda a negociação. Até o momento não há nada a ser informado", comentou Coutinho.
Segundo ele, a intenção é buscar um sócio para a adquirência de cartões, não estando em questão a emissão de cartões de crédito, que permanecerá sob a gerência do banco. Atualmente, são cerca de 1 milhão de clientes da Banrisul Cartões e mais de 100 mil estabelecimentos credenciados no Estado.
"Nossa preocupação é que, diante da evolução do mercado e entrada de novo players mais capitalizados, se reduzam mais ainda os preços, tornando o ambiente de negócios cada vez mais hostil. É um movimento que vai pressionando o mercado, e vislumbramos que é preciso fazer algo para termos crescimento. Não há como o Banrisul fazer frente aos outros competidores", aponta o dirigente.
Coutinho destacou ainda que a meta da instituição é manter, com a negociação, cerca de 60% do controle das operações de cartões, e assegurar uma rentabilidade maior ao Banrisul, mas que não se descarta a possibilidade de perda de controle do capital da Banrisul Cartões. "Buscamos parceria para aumentar capital, para que a Vero tenha robustez e opere agressivamente para ter escala em competir nacionalmente".
Em nota divulgada em 14 de julho, o conselho de administração do Banrisul informou que autorizava o Banco J. P. Morgan S.A. a tomar medidas e providências para identificar potenciais investidores ou parceiros estratégicos para dar andamento ao processo. Segundo o fato relevante, essa captação pode passar pela oferta primária de ações (IPO) na Bolsa de Valores, mas "não se trata da venda da Banrisul Cartões, pois o Banrisul continuará tendo participação relevante na empresa”.
Para a instituição, o movimento busca "fortalecer e proporcionar crescimento à Banrisul Cartões, com possibilidade de expansão dos serviços para todo o Brasil".
O dirigente respondeu perguntas do presidente do Legislativo, deputado Gabriel Souza (MDB), e dos parlamentares petistas Pepe Vargas, líder da bancada, Jefferson Fernandes, e Zé Nunes, que preside a Comissão de Economia da Casa e a Frente Parlamentar em Defesa do Banrisul Público.
Souza destacou o interesse do Legislativo no debate, desde a divulgação do fato relevante. "Haja vista que o banco tem como controlador o Estado, a Assembleia tem interesse em acompanhar o assunto, que diz respeito ao patrimônio público, para entender esses movimentos e seus impactos", disse.
Já Nunes, que concentrou a maior parte dos questionamentos ao dirigente, afirmou considerar que o avanço das negociações em torno da Banrisul Cartões tende a enfraquecer o banco. "Parece que a direção do banco tem dificuldades para encontrar um rumo. A incapacidade de expandir é da administração, que deve posicionar melhor a empresa, e não investir maciçamente em propaganda", afirmou.
Em contraponto, Coutinho disse que não tomaria nenhuma atitude prejudicial ao patrimônio do Banrisul, e que a ação em torno da busca de investidores para a operadora de cartões de crédito busca a rentabilidade do banco. Segundo ele, se a operação não evoluir, não haverá prejuízo à instituição.
"Nunca tomaria qualquer atitude que fragilizasse o banco. Isso é para que não tenha perda de valor a longo prazo, para manter a saúde financeira e buscar o melhor para a Banrisul Cartões", disse.
O presidente informou ainda que a Banrisul Cartões vem mantendo rentabilidade nos últimos anos, e obteve lucro de R$ 122 milhões no primeiro trimestre de 2021. No entanto, segundo ele, os números são insuficientes para uma expansão nacional. "Já estamos com um projeto de expansão regional, mas no limite de nossas possibilidades", concluiu.
O Banrisul registrou em suas operações, no primeiro trimestre de 2021, um lucro líquido de R$ 278,9 milhões, 8,3% maior do que o obtido no mesmo período de 2020 e o segundo melhor resultado para um primeiro trimestre na história do banco.
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário