Porto Alegre, quinta-feira, 29 de julho de 2021.
Porto Alegre,
quinta-feira, 29 de julho de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Conjuntura

- Publicada em 09h26min, 29/07/2021.

Confiança do comércio sobe 5,1 pontos em julho ante junho, para 101,0 pontos

A Sondagem do Comércio de julho coletou informações de 800 empresas entre os dias 1º e 23 do mês

A Sondagem do Comércio de julho coletou informações de 800 empresas entre os dias 1º e 23 do mês


MARIANA ALVES/JC
O Índice de Confiança do Comércio (Icom) subiu 5,1 pontos na passagem de junho para julho, para 101,0 pontos, informou nesta quinta-feira (29) a Fundação Getulio Vargas (FGV), no maior nível do indicador desde janeiro de 2019, quando atingiu 102,3 pontos. Em médias móveis trimestrais, o Icom cresceu 5,6 pontos, a terceira alta seguida.
O Índice de Confiança do Comércio (Icom) subiu 5,1 pontos na passagem de junho para julho, para 101,0 pontos, informou nesta quinta-feira (29) a Fundação Getulio Vargas (FGV), no maior nível do indicador desde janeiro de 2019, quando atingiu 102,3 pontos. Em médias móveis trimestrais, o Icom cresceu 5,6 pontos, a terceira alta seguida.
Segundo a FGV, desde 2019 o Icom não ficava acima de 100 pontos. "Os empresários do setor continuam observando melhora no ritmo de vendas, e nesse mês, as expectativas com os próximos meses também voltaram a melhorar. A manutenção dos resultados positivos do setor depende do avanço no programa de vacinação e da melhora da confiança dos consumidores. Um cenário que ainda contém riscos e que carece da recuperação do mercado de trabalho", diz a nota divulgada pela entidade.
Em julho, houve melhora na confiança em todos os seis principais segmentos do comércio acompanhados pela Sondagem do Comércio. O Índice de Situação Atual (ISA-COM) avançou 4,5 pontos, para 108,7 pontos, enquanto o Índice de Expectativas (IE-COM) subiu 5,6 pontos, para 93,2 pontos. Em junho, o IE-COM tinha registrado queda, mas, em julho, recuperou exatamente o que foi perdido no mês anterior.
Desde a virada do primeiro trimestre para o segundo trimestre, o Icom tem crescido "influenciado pela melhora da percepção dos empresários com o momento presente", diz a FGV. "O Indicador de Desconforto (composto pela média de parcelas padronizadas da pergunta sobre limitação a melhoria dos negócios: demanda insuficiente, acesso ao crédito bancário, custo financeiro e outros) também registra melhora nos últimos meses, sugerindo que a redução das restrições tem beneficiado a percepção dos empresários do setor sobre o momento presente", informa a nota da FGV.
A Sondagem do Comércio de julho coletou informações de 800 empresas entre os dias 1º e 23 do mês.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário