Porto Alegre, quarta-feira, 26 de maio de 2021.
Nossa Senhora de Caravaggio - feriado em Caxias do Sul.
Porto Alegre,
quarta-feira, 26 de maio de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Mercado Imobiliário

- Publicada em 21h17min, 25/05/2021.

Bens da Confiança Seguros vão a leilão em Porto Alegre

Com preço mínimo de R$ 1,9 milhão, Edifício Tuyuty tem 600 metros quadrados e é tombado pelo município

Com preço mínimo de R$ 1,9 milhão, Edifício Tuyuty tem 600 metros quadrados e é tombado pelo município


/MARIANA ALVES/JC
Jefferson Klein
Um total de 98 imóveis pertencentes à Confiança Companhia de Seguros, empresa que se encontra em processo de liquidação extrajudicial, serão leiloados na próxima segunda-feira (31). Além da quantidade expressiva, outro fato que chama a atenção para esse certame é o total da soma dos lances mínimos estipulados para esses bens: R$ 85,7 milhões.
Um total de 98 imóveis pertencentes à Confiança Companhia de Seguros, empresa que se encontra em processo de liquidação extrajudicial, serão leiloados na próxima segunda-feira (31). Além da quantidade expressiva, outro fato que chama a atenção para esse certame é o total da soma dos lances mínimos estipulados para esses bens: R$ 85,7 milhões.
Desses ativos, 94 estão localizados em Porto Alegre, dois em Resende, no Rio de Janeiro, um em São Leopoldo e outro em Florianópolis. O valor mínimo mais baixo entre as unidades que serão leiloadas é de R$ 31 mil por uma vaga de garagem localizada no Centro de Porto Alegre. Já o bem que conta com o lance inicial mais alto, de R$ 6,093 milhões, é o edifício Marechal Mesquita (com sete pavimentos, inclusive o térreo), também situado no Centro da Capital. O prédio conta com uma área construída estimada em 1.949 mil metros quadrados e terreno de 302,85 metros quadrados. Outro destaque é o clássico Edifício Tuiuty, no Centro, com 600 metros quadrados e valor mínimo de R$ 1,9 milhão. 
A liquidante nomeada para a Confiança Companhia de Seguros pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), Ludmila Rodrigues Fernandes Bittencourt, comenta que esse leilão não contempla todos os imóveis da empresa, mas abrange a maioria. Alguns bens não foram incluídos nessa oferta, pois sofrem algum tipo de restrição como, por exemplo, estarem como garantia devido a alguma ação judicial.
Ludmila detalha que os recursos obtidos com o certame serão utilizados para pagar dívidas da companhia. Ela salienta que há um quadro geral de credores que possuem uma ordem legal de prioridade. "Já concluímos o pagamento da primeira categoria, que é a trabalhista, e estamos em fase de pagamento dos tributários", informa. O próximo segmento a ser contemplado é o chamado "privilegiado", que é formado pelos assegurados da companhia, que compõe o maior número de credores, contudo ainda não tem data prevista para a quitação desses débitos. Ludmila enfatiza que o leilão busca justamente vender os ativos para ter recursos e começar a pagar esse grupo também.
O Gboex é o controlador da Confiança Companhia de Seguros, porém Ludmila explica que a entidade não possui hoje ingerência sobre a empresa, porque, como ela se encontra em regime de liquidação extrajudicial, quem nomeia a administração da companhia é a Susep. Alguns dos imóveis que serão alienados estão alugados, atualmente. "Em todos os contratos de aluguel da Confiança, desde que ela está nesse regime de liquidação, os locatários têm ciência que são imóveis que um dia irão a leilão", frisa Ludmila. O diretor de leilão de imóveis da Pestana Leilões, Renan Dallastra, acrescenta que os inquilinos têm o direito legal de exercer a preferência da compra desses bens.
Ele destaca que quando um imóvel alugado é vendido no leilão, é feita uma notificação e o locatário tem até 30 dias para manifestar seu direito de preferência, podendo pagar o mesmo valor que foi ofertado no certame para ficar com o bem. Dallastra prevê que os participantes da disputa deverão constituir um público diversificado, devido ao perfil dos imóveis ser muito variado. Há salas comerciais, apartamentos residenciais e garagens sendo ofertados.
O diretor da Pestana Leilões adianta que, entre os imóveis que serão disponibilizados, houve bastante sondagens (visitas) de interessados, principalmente, em uma série de 18 apartamentos residenciais, localizados na Rua Siqueira de Campos, com valores médios de R$ 534 mil. O certame será feito online, a partir das 13h, pelo site www.leiloes.com.br. Dallastra ressalta ainda que, quem quiser, pode dar lances antes do dia da realização do leilão, através do site, entretanto o fechamento das propostas acontecerá na próxima segunda-feira.
O edital completo com as descrições dos lotes, fotos, matrículas e demais informações dos imóveis estão disponíveis no mesmo endereço eletrônico da disputa. Outros dados podem ser obtidos através do telefone (51) 99857-9978/(51) 3535-1000 ou pelo e-mail: [email protected] Os ativos que não forem arrematados nesta concorrência deverão ser incluídos em novo leilão já marcado para o dia 25 de junho.

Edifício Tuyuty passou por restauração em 2007

Localizado na rua Riachuelo, esquina com a rua Caldas Júnior, o Edifício Tuyuty, prédio tombado pela prefeitura de Porto Alegre, está entre os imóveis que serão leiloados pela Confiança Companhia de Seguros. O lance mínimo determinado para esse prédio é de R$ 1,902 milhão.

De acordo com informações da prefeitura da capital gaúcha, a edificação, construída em 1925 em estilo eclético, típico do final do século IXX e início do século XX, mescla elementos barrocos, neoclássicos e Art Nouveau. Situado em um terreno em declive, possui dois pavimentos na Rua Riachuelo e termina com três na Rua Caldas Júnior. A fachada assimétrica com aberturas diferenciadas é composta por reentrâncias e saliências, sacadas e ornamentação em relevo.

Em 1933, o imóvel foi adquirido pelo Gboex, sendo utilizado para fins residenciais e comerciais até a década de 1980. Desativado devido ao mau estado de conservação, foi tombado em 30 de outubro de 1990 e restaurado integralmente em 2007 pelo Grupo Gboex, com recursos próprios.

Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário