Porto Alegre, quarta-feira, 12 de maio de 2021.
Dia da Enfermagem.
Porto Alegre,
quarta-feira, 12 de maio de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Comércio Exterior

- Publicada em 16h20min, 12/05/2021.

Exportações industriais gaúchas sobem 34% em abril

Móveis apresentaram o maior avanço, de 256,2%, puxados pelas compras de Chile e Estados Unidos.

Móveis apresentaram o maior avanço, de 256,2%, puxados pelas compras de Chile e Estados Unidos.


Movergs/ Divulgação/jc
Ao totalizarem US$ 1 bilhão em abril, as exportações da indústria de transformação gaúcha cresceram 34% na comparação com o mesmo mês de 2020. “O resultado se explica em parte pela baixa base de comparação do ano passado, mas apesar disso, o valor exportado foi o maior para o mês em oito anos, e 15,3% superior a abril de 2019, o que pode estar mostrando que as exportações também se beneficiaram de uma demanda reprimida no mundo.”, diz o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs), Gilberto Petry. No acumulado dos quatro primeiros meses de 2021, as exportações alcançaram US$ 3,7 bilhões, elevação de 18,5% na comparação interanual, mas ainda insuficiente para recuperar o nível de 2019. A diferença segue em 9,2%.
Ao totalizarem US$ 1 bilhão em abril, as exportações da indústria de transformação gaúcha cresceram 34% na comparação com o mesmo mês de 2020. “O resultado se explica em parte pela baixa base de comparação do ano passado, mas apesar disso, o valor exportado foi o maior para o mês em oito anos, e 15,3% superior a abril de 2019, o que pode estar mostrando que as exportações também se beneficiaram de uma demanda reprimida no mundo.”, diz o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs), Gilberto Petry. No acumulado dos quatro primeiros meses de 2021, as exportações alcançaram US$ 3,7 bilhões, elevação de 18,5% na comparação interanual, mas ainda insuficiente para recuperar o nível de 2019. A diferença segue em 9,2%.
Dos 23 setores da indústria que registraram algum embarque no último mês, 21 aumentaram o valor exportado na comparação anual. O desempenho positivo ocorre, principalmente, pela retomada do comércio internacional, especialmente das vendas externas para a América Latina e Estados Unidos. Comparada a abril de 2020, com exceção de celulose e papel, que caiu 11,8%, a forte alta foi generalizada. O setor de alimentos cresceu 20%, em virtude do aumento das vendas de carne suína para a China e de farelo de soja para Coreia do Norte. Químicos subiu 21,2%, beneficiado pelas altas para Argentina, Chile e Países Baixos. Máquinas e equipamentos aumentaram em 101,3% suas vendas, em decorrência das exportações com destino à Argentina, Estados Unidos e Paraguai. Tabaco, por sua vez, cresceu 19% com a elevação dos embarques para a Bélgica.
Outro destaque no mês passado foi o avanço de setores que exibiam ritmo de recuperação mais lento. Em relação a abril de 2020, as vendas de couro e calçados cresceram 91,4%, impulsionadas pelas demandas de Argentina, China e Estados Unidos. Já o setor de veículos automotores subiu 24,9%, justificado pelas melhoras das exportações para Chile e Colômbia. Os móveis apresentaram o maior avanço, de 256,2%, puxados pelo maior volume de compras de Chile e Estados Unidos.
Pelo lado das importações, o Estado adquiriu em abril US$ 741,8 milhões em mercadorias, demanda 32,4% superior a abril de 2020. No acumulado do ano, o RS comprou US$ 2,7 bilhões, 14,7% acima do mesmo período do ano passado. Com exceção de combustíveis e lubrificantes (-US$ 238,3 milhões), todas as grandes categorias apresentaram crescimento das importações, sendo a maior variação em bens intermediários (US$ 382,1 milhões).
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário