Porto Alegre, quarta-feira, 24 de fevereiro de 2021.
Dia do WebDesigner.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 24 de fevereiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Veículos

- Publicada em 21h31min, 23/02/2021. Atualizada em 08h31min, 24/02/2021.

Movida recupera lucro no último trimestre de 2020

Jefferson Klein
Os meses de outubro a dezembro, praticamente, "salvaram" o desempenho financeiro do grupo Movida no ano passado, que foi afetado pelos reflexos da pandemia de Covid-19. Para se ter uma ideia, o lucro líquido da empresa somente no quarto trimestre de 2020 foi de R$ 184 milhões, um crescimento de 393% quando comparado com o terceiro trimestre. No total do ano, a companhia fechou com um desempenho de R$ 109 milhões, contra R$ 227,8 milhões em 2019 (queda de 52%).
Os meses de outubro a dezembro, praticamente, "salvaram" o desempenho financeiro do grupo Movida no ano passado, que foi afetado pelos reflexos da pandemia de Covid-19. Para se ter uma ideia, o lucro líquido da empresa somente no quarto trimestre de 2020 foi de R$ 184 milhões, um crescimento de 393% quando comparado com o terceiro trimestre. No total do ano, a companhia fechou com um desempenho de R$ 109 milhões, contra R$ 227,8 milhões em 2019 (queda de 52%).
De acordo com a Movida, o resultado de 2020, excluindo os efeitos da pandemia, seria de R$ 233 milhões. Apesar das dificuldades enfrentadas, o CFO da empresa, Edmar Lopes, comemora a recente e contínua recuperação do mercado de aluguel de carros no País. "A gente está olhando os tempos mais difíceis pelo retrovisor", afirma o executivo. Lopes argumenta que, a partir do último trimestre do ano passado, houve o aquecimento do turismo feito internamente no Brasil e pela via terrestre. Outro ponto foi a volta das atividades econômicas, que refletiram em uma maior mobilidade.
O dirigente acrescenta que o início de 2021 também se mostrou promissor. O CFO da Movida admite que existe a preocupação com "novas ondas" de coronavírus, no entanto ele reforça que as pessoas se "acostumaram" a lidar com essa nova realidade e o aluguel de carros não sofreu as restrições verificadas em outras áreas. Ainda conforme o balanço da Movida, a empresa fechou o quatro trimestre do ano passado com uma dívida líquida de R$ 2,6 bilhões, contra R$ 1,9 bilhão verificado no mesmo período de 2019. Quanto à frota, a Movida terminou 2020 com 118.285 veículos, uma expansão de 8.624 se comparado ao ano anterior.
Uma das inovações adotadas recentemente pela empresa foi o acréscimo, entre os veículos que oferece, do automóvel elétrico Leaf, da Nissan. Atualmente, são 70 carros desse tipo que podem ser alugados em mercados como a região metropolitana de São Paulo, Campinas e a cidade do Rio de Janeiro. Lopes adianta que a meta é ampliar as regiões atendidas e há a possibilidade de Porto Alegre ser um dos municípios abrangidos ainda neste ano. O CFO da Movida ressalta que o desafio para aumentar o uso dos veículos elétricos no Brasil é ampliar os pontos de abastecimentos. Seguindo na área de ações sustentáveis, a companhia também está instalando painéis fotovoltaicos em sua rede de lojas para alimentar esses estabelecimentos com uma energia mais limpa.
Comentários CORRIGIR TEXTO