Porto Alegre, quinta-feira, 18 de fevereiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 18 de fevereiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

combustíveis

- Publicada em 12h26min, 18/02/2021. Atualizada em 12h32min, 18/02/2021.

Reajuste da Petrobras chegará nos consumidores gaúchos, alerta presidente do Sulpetro

'O posto não consegue represar um aumento tão elevado', destaca João Carlos Dal'Aqua

'O posto não consegue represar um aumento tão elevado', destaca João Carlos Dal'Aqua


LUIZA PRADO/JC
Fernanda Soprana
O Sulpetro, sindicato que representa os revendedores dos postos de combustíveis do Rio Grande do Sul, alerta que o novo reajuste anunciado pela Petrobras nesta quinta-feira (18) chegará ao consumidor. A estatal estabeleceu um aumento de R$ 0,23 para a gasolina e R$ 0,34 para o diesel, que entra em efeito nesta sexta (19).
O Sulpetro, sindicato que representa os revendedores dos postos de combustíveis do Rio Grande do Sul, alerta que o novo reajuste anunciado pela Petrobras nesta quinta-feira (18) chegará ao consumidor. A estatal estabeleceu um aumento de R$ 0,23 para a gasolina e R$ 0,34 para o diesel, que entra em efeito nesta sexta (19).
A Petrobras afirmou em um comunicado nesta quinta-feira que mantém uma política de paridade internacional, o que permitiria a competição no comércio interno. Para o presidente da associação, João Carlos Dal'Aqua, o aumento vem em um momento crítico para a economia brasileira.
“Com a paridade que a Petrobras tem como política, o reajuste não é surpresa. Existe, realmente, uma pressão grande em cima dessa paridade, que é cobrada pelo próprio mercado. Só que, ao mesmo tempo, isso vem em um momento difícil, em que a economia está fragilizada com a pandemia”, ressalta Dal’Aqua. “Ainda há uma discussão nacional, em que o presidente está conversando sobre a reforma tributária, então é um caldeirão perfeito”, acrescenta.
Ainda assim, o presidente do Sulpretro ressalta que o preço médio da gasolina se mantém coerente. “A gasolina no Brasil a nível médio esteve sempre próxima de U$ 1,00. Agora com esse câmbio, nós estamos na mesma média”, afirma.
Dal’Aqua ressalta outra preocupação: o reajuste nas tabelas de impostos estaduais. Com isso, o reajuste chegará nos consumidores gaúchos.
“Vai ter um reajuste nas tabelas de impostos estaduais também. Nessa terça-feira (16) a nova tabela aumentou o custo de revenda em R$ 0,04, sem influência da Petrobras. Lá na frente, teremos mais um rebote pela inércia e pelo próprio modelo”, analisa.
Ele destaca que os postos de combustíveis compõem a parte final da estrutura. “O posto não consegue represar um aumento tão elevado”, diz Dal’Aqua.
Para Dal’Aqua, a reforma tributária defendida por Jair Bolsonaro pode ser uma saída para esses aumentos. Esta é uma das apostas do governo federal para a retomada da economia após a pandemia da Covid-19. Segundo Bolsonaro, é possível que a reforma saia ainda no final deste ano.
Comentários CORRIGIR TEXTO