Porto Alegre, sábado, 13 de fevereiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 13 de fevereiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

gente

- Publicada em 09h35min, 13/02/2021.

Morre Roberto Otaviano Rossato, presidente da Semeato, em Passo Fundo

Falecimento nesta sexta-feira (12) foi decorrente de problemas de saúde do executivo

Falecimento nesta sexta-feira (12) foi decorrente de problemas de saúde do executivo


SEMEATO/DIVULGAÇÃO/JC
Por meio de nota, a Semeato Indústria e Comércio informou o falecimento de seu presidente, Roberto Otaviano Rossato, aos 77 anos. O executivo veio a óbito nesta sexta-feira (12), em decorrência de problemas de saúde, em Passo Fundo, município do Norte gaúcho.
Por meio de nota, a Semeato Indústria e Comércio informou o falecimento de seu presidente, Roberto Otaviano Rossato, aos 77 anos. O executivo veio a óbito nesta sexta-feira (12), em decorrência de problemas de saúde, em Passo Fundo, município do Norte gaúcho.
Com 56 anos de história, a empresa é uma das pioneiras do plantio direto no Brasil. Com atuação em mais de 25 países, a Semeato possui sete unidades no Rio Grande do Sul, localizadas nas cidades de Passo Fundo, Carazinho e Butiá. Quando a expressão “plantio direto” ainda ganhava significado no cenário agrícola brasileiro, a Semeato colaborou fundamentalmente no desenvolvimento deste revolucionário sistema de manejo do solo em parceria com a Embrapa Trigo e outros órgãos que projetaram o método ao Brasil e ao mundo.
Com visão, empreendedorismo e muito trabalho, a trajetória da Semeato anda lado a lado com a de seu presidente Roberto, filho do fundador, Paulo Rossato. Roberto Otaviano iniciou sua carreira profissional nos escritórios e na busca por excelência na fabricação das plantadeiras. Logo, passou a trabalhar diretamente com os operários, torneiros, mecânicos e soldadores. Ele, filho do dono da empresa, vestia-se como operário e com eles dividia as atividades industriais, logo se tornando chefe do setor de produção das máquinas.
Pelo esforço conjunto de Roberto e sua equipe, a Semeato recebeu mais de 20 prêmios Gerdau de Inovação, sendo uma das maiores detentoras de patentes do Brasil e tendo gerado milhares de empregos diretos e indiretos na região. Além do incansável legado de trabalho em prol da inovação na agricultura, Otaviano Rossato deixa a esposa Márcia, três filhos - Marcelo, Carolina e Roberta - e cinco netos.
O velório neste sábado (13) ocorrerá na Associação dos Funcionários da Semeato e, em virtude da pandemia da Covid-19, será restrito aos familiares.
Comentários CORRIGIR TEXTO