Porto Alegre, quinta-feira, 11 de fevereiro de 2021.
Aniversário da Casa da Moeda do Brasil.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 11 de fevereiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Infraestrutura

- Publicada em 12h00min, 11/02/2021. Atualizada em 14h58min, 11/02/2021.

Daer vai fechar unidades e estima levantar R$ 200 milhões com permuta de imóveis

Departamento encerrará as atividades de seis superintendências regionais no Estado

Departamento encerrará as atividades de seis superintendências regionais no Estado


ANTONIO PAZ/ARQUIVO/JC
Jefferson Klein
Uma reestruturação do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (DAER), que reduzirá a sua estrutura, aliada a um planejamento de permutas de imóveis das suas 17 superintendências regionais, tem como objetivo obter mais de R$ 200 milhões para serem investidos em obras que sejam consideradas importantes para o Estado. O secretário de Logística e Transportes, Juvir Costella, detalha que os recursos poderão ser utilizados em melhorias de rodovias, como pavimentações e outras ações, mas o governo pode decidir também por outras destinações como, por exemplo, a construção de um presídio.
Uma reestruturação do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (DAER), que reduzirá a sua estrutura, aliada a um planejamento de permutas de imóveis das suas 17 superintendências regionais, tem como objetivo obter mais de R$ 200 milhões para serem investidos em obras que sejam consideradas importantes para o Estado. O secretário de Logística e Transportes, Juvir Costella, detalha que os recursos poderão ser utilizados em melhorias de rodovias, como pavimentações e outras ações, mas o governo pode decidir também por outras destinações como, por exemplo, a construção de um presídio.
Ele comenta que o DAER chegou, há algumas décadas, a ter mais de 4 mil funcionários e agora conta com um pouco mais de 600. Sendo assim, é possível deslocar servidores para imóveis menores e colocar em negociação os maiores. Além disso, o departamento pretende fechar seis superintendências regionais: Esteio, Cruz Alta, Cachoeira do Sul, Santiago, São Francisco de Paula e Erechim. As cinco primeiras terão as funções incorporadas pelas unidades de Porto Alegre, Santa Rosa, Santa Cruz do Sul, Alegrete, e Bento Gonçalves. Já Erechim terá áreas absorvidas pelas superintendências de Passo Fundo e Palmeiras das Missões.
Costella informa que os funcionários das superintendências regionais que terão as atividades encerradas poderão escolher para qual outra unidade serão remanejados ou, se tiverem idade para isso, poderão se aposentar. Os valores dos imóveis do total das superintendências, tanto as que serão fechadas como as que serão mantidas, estão sendo avaliados pelo DAER. A estimativa atual da autarquia é que, cada imóvel, valha de R$ 10 milhões a R$ 40 milhões.
Todo esse processo, de fechamento de unidades e definição de destinação dos imóveis, segundo o secretário de Logística e Transportes, deve estar concluído até agosto. Costella ressalta ainda que passar para 11 as superintendências do DAER representará uma economia anual de R$ 1,15 milhão aos cofres públicos (um corte de 40% sobre a despesa de hoje). “Estamos buscando a redução de custos da administração estadual”, frisa o dirigente. Ele lembra que já nos dois primeiros anos da gestão do governo Eduardo Leite o número de funcionários do DAER passou de 890 para 603. Foram reduzidas também as gratificações de permanência (concedidas a servidores já com idade para se aposentar, mas que permaneceram na ativa) que eram de eram de 460, ao custo de R$ 512 mil ao mês, e ficaram 271, com ônus mensal de R$ 302 mil.
“Estamos nos tornando um gestor de contratos para melhor gerenciar a nossa malha rodoviária”, enfatiza o diretor-geral do DAER, Luciano Faustino. No momento, estão sob o guarda-chuva da autarquia em torno de 11 mil quilômetros de estradas, sendo que a manutenção e melhorias dessas estruturas, na sua maior parte, são feitas através de terceirizados.
Comentários CORRIGIR TEXTO