Porto Alegre, segunda-feira, 08 de fevereiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 08 de fevereiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

relações internacionais

- Publicada em 21h07min, 07/02/2021.

Avança parceria entre o RS e Consulado dos EUA

Lorenzoni destaca oportunidade de diálogo em tempo de retomada

Lorenzoni destaca oportunidade de diálogo em tempo de retomada


/LUIZA PRADO/JC
Vinicius Appel
Após recente manifestação de interesse por parte do Consulado Geral dos Estados Unidos, o governo do Estado trabalha em um termo de colaboração técnica que vai instituir grupos de trabalho temáticos. A intenção é realizar uma troca de informações levando em consideração os interesses econômicos do Rio Grande do Sul e dos Estados Unidos. Entre as áreas que serão beneficiadas pelo acordo estão agropecuária, segurança, turismo e comércio.
Após recente manifestação de interesse por parte do Consulado Geral dos Estados Unidos, o governo do Estado trabalha em um termo de colaboração técnica que vai instituir grupos de trabalho temáticos. A intenção é realizar uma troca de informações levando em consideração os interesses econômicos do Rio Grande do Sul e dos Estados Unidos. Entre as áreas que serão beneficiadas pelo acordo estão agropecuária, segurança, turismo e comércio.
A Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur) atua junto com o Consulado e com a Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão (SPGG) na elaboração do documento que passará por avaliação jurídica e servirá como ponto de partida para as ações da parceria. A projeção é que o termo seja concluído e assinado pelo governador Eduardo Leite (PSDB) em um prazo que pode levar de 20 dias a um mês.
Assim que o documento tiver recebido as assinaturas necessárias, reuniões e rodadas de trabalho terão início. Para garantir que as ações sejam colocadas em prática, e que o instrumento não fique apenas na fase de idealização, foi elaborado um acordo de acompanhamento das tarefas. "Muitas vezes se firmam termos de cooperação dessa natureza que não saem do papel, então, nós teremos um monitoramento das ações", explica o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rodrigo Lorenzoni (DEM).
O titular da Sedetur afirma que é comum o governo apresentar a cônsules e embaixadores os atrativos do Estado e suas potencialidades. Neste caso, a potencial econômico do Rio Grande do Sul e a disposição do Consulado dos EUA em promover o intercâmbio proporcionaram a elaboração do instrumento, que formaliza a troca de informações entre o país norte-americano e os gaúchos.
A parceria já está resultando em troca de ideias, o que deve agilizar a criação de planos de trabalho setoriais. "Nesse momento de retomada econômica, ter essa porta aberta de diálogo com uma das principais economias do mundo também é muito importante para o desenvolvimento econômico do Rio Grande do Sul", comenta o secretário.
Para determinar a relevância dessa parceria para o Estado, serão criadas métricas e metas. A avaliação levará em conta fatores como geração de negócios, troca de conhecimento em inovação e tecnologia e exportação de produtos agropecuários. Lorenzoni diz acreditar que os primeiros resultados já poderão ser identificados após a assinatura do termo de cooperação.
O secretário explica que o governo apresentará aos norte-americanos os distritos industriais e os programas de incentivo à instalação de indústrias. Isso poderá atrair empresas que tenham o interesse de atuar no Estado.

Setor turístico será um dos beneficiados

O turismo ganha destaque entre as áreas que podem ser beneficiadas pela parceria. De acordo com o titular da Sedetur, Rodrigo Lorenzoni, o segmento não costuma ser incluído nestas parcerias, mas os EUA enxergam, principalmente na região dos cânions, oportunidade de gerar fluxo turístico para o Rio Grande do Sul.
O secretário exalta a vocação do Estado para o turismo e reconhece a falta de uma maior atenção para este potencial. Além disso, o titular da Sedetur afirma que a pandemia mostrou o quanto a exploração turística impacta na economia estadual. Com a chegada da pandemia, muitos empregos foram perdidos e empresas do segmento fecharam.
Lorenzoni projeta que, na medida em que o fluxo turístico for retomado, vai gerar emprego e renda de maneira rápida, então tratar desse assunto com os norte-americanos é importante, já que o país é um dos principais destinos turísticos do mundo. "Nós podemos trocar muita informação, muito conhecimento, para que a gente possa trazer bons exemplos para desenvolver nosso turismo", afirma o secretário.
Ainda não é possível determinar quais regiões serão beneficiadas com a parceria. O governo fará uma apresentação de todas as atrações turísticas aos técnicos do Consulado dos EUA e aguarda manifestações de interesse por parte dos americanos.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO