Porto Alegre, quarta-feira, 13 de janeiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 13 de janeiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Mercado Financeiro

- Publicada em 16h20min, 13/01/2021. Atualizada em 16h21min, 13/01/2021.

Ouro fecha em alta com cautela no mercado, apesar de dólar forte

O ouro para entrega em fevereiro subiu 0,58%, em US$ 1.854,9 a onça-troy

O ouro para entrega em fevereiro subiu 0,58%, em US$ 1.854,9 a onça-troy


VISUALHUNT.COM/DIVULGAÇÃO/JC
O ouro fechou o pregão desta quarta-feira (13) em alta, impulsionado pela cautela nos mercados financeiros, em meio à incerteza política em Washington, onde o segundo impeachment contra o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deve ser aprovado hoje na Câmara dos Representantes. A alta do dólar, que tende a pressionar o preço do metal precioso, apenas reduziu os ganhos.
O ouro fechou o pregão desta quarta-feira (13) em alta, impulsionado pela cautela nos mercados financeiros, em meio à incerteza política em Washington, onde o segundo impeachment contra o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deve ser aprovado hoje na Câmara dos Representantes. A alta do dólar, que tende a pressionar o preço do metal precioso, apenas reduziu os ganhos.
O ouro para entrega em fevereiro subiu 0,58%, em US$ 1.854,9 a onça-troy, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex).
A cautela que predominou no exterior hoje levou os investidores a buscar refúgio no ouro. Nos EUA, os democratas abriram um processo de impeachment contra Trump pela segunda vez, mas ainda não está claro se o republicano seria condenado no Senado. A uma semana da posse de Joe Biden, a polarização política aumentou.
Depois de ter se desvalorizado ontem, o dólar voltou a subir ante os pares hoje. A valorização da moeda americana pesa no ouro porque deixa os contratos da commodity mais caros e menos atrativos para detentores de outras divisas, reduzindo a demanda. Mesmo assim, o ouro sustentou a alta.
Segundo o analista Carsten Fritsch, do Commerzbank, a queda nos juros longos dos Treasuries hoje beneficiaram o metal precioso. Os títulos do governo americano também são ativos considerados seguros. "O aumento contínuo nos rendimentos colocou uma pressão renovada sobre o ouro durante o curso das negociações de ontem", afirma o banco alemão.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO