Porto Alegre, segunda-feira, 11 de janeiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 11 de janeiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Mercado Financeiro

- Publicada em 08h09min, 11/01/2021.

Bolsas da Ásia fecham em queda por cautela com Covid-19, mas Hong Kong sobe

Em Tóquio, Nikkei atingiu seu nível de fechamento mais alto desde abril de 1991

Em Tóquio, Nikkei atingiu seu nível de fechamento mais alto desde abril de 1991


KAZUHIRO NOGI /AFP/JC
As bolsas da Ásia fecharam em queda nesta segunda-feira, 11, diante da cautela de investidores com o avanço da Covid-19 no globo. Várias regiões da China já retomaram lockdowns para conter a doença. Só a bolsa de Hong Kong foi na contramão, animada pela promessa do presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, de estímulos fiscais trilionários, anunciada na última sexta-feira após o fim dos negócios asiáticos.
As bolsas da Ásia fecharam em queda nesta segunda-feira, 11, diante da cautela de investidores com o avanço da Covid-19 no globo. Várias regiões da China já retomaram lockdowns para conter a doença. Só a bolsa de Hong Kong foi na contramão, animada pela promessa do presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, de estímulos fiscais trilionários, anunciada na última sexta-feira após o fim dos negócios asiáticos.
Na China continental, o índice composto de Xangai caiu 1,08%, a 3.531,50 pontos, e o de Shenzhen recuou 1,31%, a 15.115,38 pontos. Por lá, ainda repercutiu a divulgação do índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) do país asiático, que registrou deflação acumulada de 1,8% em 2020, evidenciando os impactos da pandemia de covid-19, cuja segunda onda já volta a afetar a atividade local. O avanço de 0,7% no índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) acabou apenas monitorado.
O índice Kospi, da bolsa de Seul, seguiu a tendência e perdeu 0,12% na sessão, para 3.148,45 pontos, mesmo com a disparada de 8,74% nas ações da Hyundai após notícia de que a montadora e a Apple vão assinar acordo para produção de veículos autônomos elétricos já em março. Na Oceania, o índice S&P/ASX 200 fechou em queda de 0,90%, a 6.697,20 pontos.
Por outro lado, o índice Hang Seng, de Hong Kong, conseguiu vencer o pessimismo e encerrou o dia em alta de 0,11%, aos 27.908,22 pontos. Investidores relatam otimismo com a política econômica expansionista que deve ser adotada no governo Biden, nos EUA, após o presidente eleito citar um novo pacote fiscal "de soma de trilhões de dólares" em discurso na semana passada.
A bolsa de Tóquio não funcionou nesta segunda-feira devido a um feriado no Japão.Bolsas da Ásia fecham em queda por cautela com covid-19, mas Hong Kong sobe
As bolsas da Ásia fecharam em queda nesta segunda-feira, 11, diante da cautela de investidores com o avanço da covid-19 no globo. Várias regiões da China já retomaram lockdowns para conter a doença. Só a bolsa de Hong Kong foi na contramão, animada pela promessa do presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, de estímulos fiscais trilionários, anunciada na última sexta-feira após o fim dos negócios asiáticos.
Na China continental, o índice composto de Xangai caiu 1,08%, a 3.531,50 pontos, e o de Shenzhen recuou 1,31%, a 15.115,38 pontos. Por lá, ainda repercutiu a divulgação do índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) do país asiático, que registrou deflação acumulada de 1,8% em 2020, evidenciando os impactos da pandemia de covid-19, cuja segunda onda já volta a afetar a atividade local. O avanço de 0,7% no índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) acabou apenas monitorado.
O índice Kospi, da bolsa de Seul, seguiu a tendência e perdeu 0,12% na sessão, para 3.148,45 pontos, mesmo com a disparada de 8,74% nas ações da Hyundai após notícia de que a montadora e a Apple vão assinar acordo para produção de veículos autônomos elétricos já em março. Na Oceania, o índice S&P/ASX 200 fechou em queda de 0,90%, a 6.697,20 pontos.
Por outro lado, o índice Hang Seng, de Hong Kong, conseguiu vencer o pessimismo e encerrou o dia em alta de 0,11%, aos 27.908,22 pontos. Investidores relatam otimismo com a política econômica expansionista que deve ser adotada no governo Biden, nos EUA, após o presidente eleito citar um novo pacote fiscal "de soma de trilhões de dólares" em discurso na semana passada.
A bolsa de Tóquio não funcionou nesta segunda-feira devido a um feriado no Japão.
Comentários CORRIGIR TEXTO