Porto Alegre, terça-feira, 08 de dezembro de 2020.
Dia da Família.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 08 de dezembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Aeroportos

- Publicada em 09h00min, 03/12/2020. Atualizada em 10h11min, 08/12/2020.

Aeroporto de Porto Alegre projeta 110 voos diários em dezembro, recorde na pandemia

Recomposição do tráfego ocorre mês a mês, mas ainda está muito longe do fluxo de 2019

Recomposição do tráfego ocorre mês a mês, mas ainda está muito longe do fluxo de 2019


JOYCE ROCHA/JC
Patrícia Comunello
Na reta final de 2020, o Aeroporto de Porto Alegre turbina as operações para tentar melhorar a receita devido ao freio na atividade gerado pela pandemia. O fluxo de passageiros em abril, frente ao mesmo mês de 2019, chegou a despencar 96%. Nos últimos meses, ocorre uma recomposição do tráfego, que acelera mais para dezembro.
Na reta final de 2020, o Aeroporto de Porto Alegre turbina as operações para tentar melhorar a receita devido ao freio na atividade gerado pela pandemia. O fluxo de passageiros em abril, frente ao mesmo mês de 2019, chegou a despencar 96%. Nos últimos meses, ocorre uma recomposição do tráfego, que acelera mais para dezembro.
A direção da Fraport Brasil, concessionária do complexo, projeta 110 voos diários neste mês, seguindo plano repassado pelas companhias aéreas. O número é superior ao de novembro, que somou 96 decolagens e pousos. Os 14 a mais representam alta de 14,6% na oferta frente ao mês passado. 
No confronto com o fluxo dos meses anteriores, é possível verificar a escalada, tentando se aproximar do que seria o "normal", caso não tivesse havido a crise sanitária. O fluxo consolidado de outubro registrou 94 voos, aumento de 34,3% em relação a setembro, que teve 70 operações de aeronaves, já acima de agosto, que teve 58. No menor piso desde a eclosão da pandemia, abril teve tráfego de apenas 26 pousos e decolagens.

Gráfico: Movimentação no Aeroporto de Porto Alegre 

Mas frente a 2019, há ainda um fosso a ser superado. A concessionária projeta que a recuperação completa só ocorra em 2025.A média de voos diários no ano passado foi de 213, ante 99 deste ano, considerando os realizados e as projeções dos últimos dois meses de 2020. A conta, feita pelo Jornal do Comércio baseada nos números da Fraport, é obtida com a divisão do total de voos de cada mês pelo número de dias.
Dezembro do ano passado, por exemplo, teve o maior fluxo do período, de 235 voos. Com isso, os 110 embarques e desembarques estimados será menos da metade do melhor mês desde que a empresa subsidiária da alemã Fraport assumiu o até então chamado Aeroporto Internacional Salgado Filho, em janeiro de 2018.
Na movimentação de passageiros, outubro teve alta de 40% em relação a setembro, com o transporte de 285 mil pessoas ante 203 mil do mês anterior. A taxa se elevou, pois em setembro o fluxo havia aumentado 34%. Mas na comparação com outubro de 2019, a queda é de 61%, variação semelhante a do acumulado dos dois anos: 2019 teve movimento de 6,8 milhões de passageiros de janeiro a outubro, enquanto os 10 primeiros meses deste no somaram 2,7 milhões de pessoas.    
A Fraport informa que as rotas projetadas para dezembro ligam Porto Alegre aos aeroportos de Belém, Brasília, Congonhas (São Paulo), Curitiba, Galeão e Santos Dumont (Rio de Janeiro), Guarulhos, Foz do Iguaçu, Recife, Viracopos (Campinas) e Chapecó, em outras unidades da federação, e Pelotas e Santa Maria, no Rio Grande do Sul, seguindo anúncio da companhia Azul feito em outubro.
A aérea também já confirmou a oferta de mais destinos gaúchos, para Uruguaiana, Caxias do Sul e Santo Ângelo a parti de fevereiro de 2021. Este mês também há previsão de estrearem voos para Canela e Torres, programados até fim de janeiro. Com as novas restrições da pandemia, que impedem, por exemplo, passeios à beira da praia até meados do mês, a Azul informa que mantém o plano para a temporada.  

À espera da receita 'normal' na malha aérea

Parte da dificuldade de reação mais rápida é atribuída ao apagão das rotas internacionais. Neste momento, não há destinos ao exterior partindo da Capital. A empresa informa que, por enquanto, não há nenhuma companhia indicando operação. Apenas conexões de carga ocorrem e voos fretados, muitos ligados, por exemplo, ao transporte de times de futebol para jogos da dupla Grêmio e Inter, dentro da campanha da Libertadores da América.
A TAP Air, que chegou a anunciar a volta da oferta para outubro, suspendeu e não fez nova estimativa. Restrições ao ingresso de brasileiros na Europa frustram a retomada. A Copa Airlines pretendia reativar a conexão via Cidade do Panamá, mas as obras na atual pista de pouso e decolagens, que ocorrem de madrugada, abortaram o plano, ainda sem data, possivelmente em março.
A ampliação de voos vai recompondo, mesmo que aos poucos, a receita da concessão, que tem como grande fonte as tarifas de embarque e mesmo das aéreas que utilizam o hub. Um reforço, sem prazo de duração, será o reajuste de 15% nas tarifas pagas pelos passageiros a cada bilhete emitido, que começa a valer a partir do dia 16 de dezembro. A correção, a segunda em quatro meses, foi autorizada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) como revisão do contrato para socorrer o caixa da concessão. 
O reajuste e o valor referente à outorga devida em 2020 que deixa de ser repassada à Anac somam R$ 119,442 milhões.
"O objetivo é recompor o equilíbrio econômico-financeiro do aeroporto desde o agravamento da pandemia. As medidas autorizadas estarão vigentes de forma temporária, até que o prejuízo seja compensado", condiciona a Fraport.  "Ou seja, é um reequilíbrio referente a 2020, mas que será compensado durante o tempo necessário para atingir o valor perdido", elucida a companhia, em nota.
Qual é o quadro até agora: o faturamento de outubro foi 43% menor que o do mesmo mês do ano passado, e o de novembro (estimado) foi 31% inferior ao mesmo mês de 2019.

Área de alimentação ganha nova operação e reforça pegada de 'shopping'

{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/11/24/206x137/1_jr_241120___aeroporto__5_-9197007.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5fbd7605b052d', 'cd_midia':9197007, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/11/24/jr_241120___aeroporto__5_-9197007.jpg', 'ds_midia': 'Fotos no Aeroporto de Porto Alegre. Imagens da área de alimentação, área de check-in, movimento nos balcões.', 'ds_midia_credi': 'JOYCE ROCHA/JC', 'ds_midia_titlo': 'Fotos no Aeroporto de Porto Alegre. Imagens da área de alimentação, área de check-in, movimento nos balcões.', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '533', 'align': 'Left'}
Unidade da Jamie's Deli, assinada por chef inglês, abriu na semana passada na área próxima aos portões de embarque. Foto: Joyce Rocha/JC 
Na área de serviços e comércio, tanto no embarque como no desembarque, a concessionária tenta reforçar a oferta para tornar efetiva a estratégia do VOU-Praça Porto Alegre, que quer transformar o terminal em um destino dos moradores, para compras e alimentação, como opção de lazer. 
Na semana passada, abriu a unidade da Jamie's Deli, rede assinada pelo chef inglês Jamie Oliver. Com isso, a área de alimentação ganha reforço próximo aos portões de embarque. O terminal tem 66 espaços comerciais. Segundo a Fraport, apenas posições que ficam dentro do embarque internacional estão fechadas devido à falta de voos. Uma das operações é de free shop. 
O terminal recebeu a primeira filial da Lojas Renner em um aeroporto do Brasil.  A estreia foi em 2019. Em setembro passado, a Renner abriu a segunda unidade em aeródromo, desta vez em Guarulhos.
Para ampliar o mix do complexo, a Fraport abriu a seleção de propostas para erguer hotel em frente ao terminal. Até agora um grupo interessado se habilitou, segundo a concessionária.

Obras seguem nas pistas e no novo terminal de cargas 

Enquanto administra a vida presente da operação, a concessionária toca melhorias e investimentos, parte está no contrato com a agência reguladora. É o caso da ampliação da pista dos atuais 2.280 metros para 3.200 metros, que alcançou, em novembro, 92,34% de execução. O prazo para que a ampliação possa ser habilitada para uso das aeronaves é dezembro de 2021. A entrega pode não ocorrer no prazo devido ao atraso na remoção de famílias da Vila Nazaré.
A construção do novo Terminal de Cargas (Teca), que não é obrigação contratual, chega a 35,41% da execução.
O recapeamento da pista atual começou os trabalhos, após a mobilização da equipe, levantamento topográfico ao longo da área de pista de pouso e decolagem e teste de pavimento, informa a empresa. A obra deve ser concluída em fim de fevereiro. Até lá, o aeródromo fechará para voos da 0h às 5h29min. 

VÍDEO: Desafios e curiosidades da ampliação da pista do Aeroporto de Porto Alegre 

Comentários CORRIGIR TEXTO